21 de outubro de 2013

Muito eu...


Vi esse texto na net e me identifiquei com algumas partes dele. No todo ele é maravilhoso. Mas algumas palavras parece que foram proferidas especialmente para mim. Nós somos o que somos porque somos o resultado de um conjunto de sentimentos e ações ao longo de nossas vidas. Quem conhecemos, aonde fomos, o que vestimos, comemos, ouvimos e lemos ajudam a formar não só nossa personalidade mas o nosso caráter. Ninguém é o que é da noite pro dia. Muitas vezes, somos o resultado de muitas transformações derivadas de aprendizado e dificuldades, de muitas cabeçadas e erros. Muitas vezes, somos o que somos porque não conseguimos abandonar a nossa essência, apesar de conseguirmos nos adaptar há muitas situações e mudar em certos aspectos. Nenhuma mudança externa é capaz de sobrepôr a interna. E nenhuma mudança é tão certa quanto aquela que fazemos por nós mesmos e não pelos mundo!


"Hoje tive alguns momentos de reflexão!

Eu: uma pessoa em busca eterna do aprendizado. Alguém que procura acertar, mesmo que através de incontáveis ERROS e como estes fizeram, fazem e vão fazer parte de toda a minha existência!
Amante da natureza e cujo lema é ser feliz, embora nem sempre seja: coisas da normalidade humana!
Amigos, para mim, são os verdadeiros tradutores da minha alma, termômetros do meu "Ser": espelhos meu!
Falar mal de um amigo é denunciar uma escolha voluntária feita por mim para estar ao lado de alguém com quem tenho muitas afinidades: não seria um tremendo paradoxo?

Mulher urbana, mas que conserva em sua alma valores campestres e a simplicidade da vida.
Valores materiais são conseqüências e muito bons: quem não gosta? desde que com consciência que não passam de prazeres momentâneos e sem significado algum diante dos verdadeiros sentimentos e valores. Sem estes, sim, nada faz sentido.

Não agrado a todos e nem procuro tal "feito", sou "eu", "eu mesma" e isso me basta! Eu obedeço o que meu espírito inconscientemente me impõe e quem "bem" me conhece sabe disso: essa sou EU!
Adoro rir, gargalhar, chorar por nada e curto cada momento: aquele alegre e aquele triste também…sou toda emoções, fazer o quê? Não curto nada morno e tudo tem de ser completo, pois não suporto metades: só se eu nascer de novo e olha lá! 

Resumindo:
No meu mundo a Lua não é mera figurante da noite, mas verdadeira protagonista dela;
o Sol não brilha apenas para provar que o dia amanheceu, mas para fazer brilhar o meu coração; 
Os pássaros não cantam simplesmente, mas encantam minha alma e me fazem cantar com eles;
As estrelas aparecem à noite para provar que estou viva e que, também, posso brilhar junto a elas em meus momentos de sabedoria, doação e plenitude...afinal, lá estão elas, todas as noites, doando-se para a humanidade;
Tempo não é só para que eu lembre das horas e do quanto preciso correr nesta cultura de consumo, mas também, para me fazer parar e ver meus erros, rever meus conceitos, perdoar aos outros e, principalmente, perdoar a mim mesma: tempo para rir, sorrir, gargalhar, amar ao Criador, ao próximo, amar a vida e apreciá-la sem pudores e com liberdade;
Que eu possa voar com o vento, correr o mundo e gritar ao alto a força presente em minha alma; 
Água para suavizar, momentaneamente, minha sede de conhecimentos, lavar minha alma e, que com ela possa chorar minhas dores e meus medos sem receios, pois sou humana e tenho um coração;
Quero correr em campos com os pés descalços, cheirar as flores, banhar-me em uma cachoeira e sussurrar a ela meus segredos e nunca deixar pesar a alma;

E como foi importante em minha caminhada tudo o que passei: das alegrias aos sofrimentos e, principalmente estes, pois aprendi a ser forte e madura à força. Agradeço aos meus pais os ensinamentos que me passaram e hoje, com discernimento, percebo o quanto tinham razão. 
Agradeço aos meus filhos lindos que me ensinaram o que é AMOR INCONDICIONAL; agradeço aos meus amigos de BSB que tão bem me acolherem e ainda me acolhem e a todos os meus amigos que tive ao longo da vida: os de Sergipe, De Maceió, os dos colégios que estudei, da faculdade de Direito, de Jornalismo, dos estágios pelos quais passei, dos trabalhos temporários, efetivos, os do voluntariado, …

Agradeço, também, aos "amigos" que me decepcionaram de alguma forma, pois a decepção transformou-se em força; aos "amigos" que me usaram e depois descartaram, pois aprendi que uma verdadeira amizade é sincera e resiste às dificuldades, falsos interesses e comodismo; meu muito obrigada aos "amigos" que me traíram, pois apesar de tamanho sofrimento e queda, consegui levantar-me mais sábia, madura e valorizando, mais do que nunca, a lealdade, companheirismo, confiança e fidelidade, sentimentos imprescindíveis em uma amizade. Agradeço aos meus verdadeiros e bons amigos pelo simples fato de existirem e colorirem a minha vida.
Agradeço, principalmente, aos amigos que estão longe ou os que já partiram e, em especial, ao Carlos Prestes Júnior: com você aprendi e fortaleci inúmeros valores, laços, a importância da discussão sobre desigualdade, preconceito, racismo e a lutar para vencê-los arduamente no nosso campo profissional e na Vida: Amigo, você se foi há quase 5 anos, mas é um anjo que continua inspirando-me diariamente!

Não poderia esquecer do "Ciranda de Espetáculos", meu antigo grupo de teatro e a todos os integrantes, quando decidi sair da redoma e do conforto nos quais me encontrava em busca do novo, de algo impossível em um lugar deserto, pois com isso aprendi que a divindade está na simplicidade da vida, nos amigos que cultivamos ao longo desta e que as diferenças são sinônimo de beleza: com vocês perdi minha timidez, com o Tiago -ator e diretor do grupo- eu entendi o que é humildade no sentido cru da palavra, com o Nilton, produtor deste grupo, e que hoje deve estar produzindo em outra dimensão, aprendi a não desistir dos sonhos e que ser artista é ser um mago de Deus e, portanto, devemos não só praticar a arte ao nosso bel interesse, mas também doá-la como fazíamos no nosso projeto "Literatura viva"...

Sou muito grata aos meus inúmeros e companheiros DEFEITOS, pois através deles estou sempre buscando a transformação: UM DIA DE CADA VEZ!

Cada um que fez parte da minha vida não passou inutilmente, mesmo os que passaram por apenas uma manhã, tarde ou minutos: algo deixaram de si e algo levaram de mim para uma eternidade. Não quero apenas gritar um "eu te amo" no leito de morte, mas bem viva e agora: Amo todos vocês, simplesmente, pelo que são: com tantas qualidades fantásticas e defeitos inerentes a qualquer ser HUMANO. Somos irmãos, seja por laços de sangue, de coração ou irmãos em Deus..."

MiMa Marys



Um comentário:

Michella Marys disse...

Que bom que vc gostou do meu texto.
Fico feliz
Mima Marys