6 de janeiro de 2016

Abençoada demais para reclamar...




Hoje eu acordei com um forte sentimento de gratidão dentro de mim. Pela minha vida, pela minha saúde, pela minha família e amigos, pelo meu trabalho, pela minha dança, por todos os lugares que tive a oportunidade de conhecer, por todos os momentos vividos, por todas as chances que me são dadas todos os dias de ser e fazer uma infinidade de coisas. Grata até mesmo pelos momentos difíceis e problemas pois eles me proporcionam crescimento e fortalecimento.

Muitas vezes a gente se envolve numa bolha de reclamações, insatisfações e chateações. Coisas essas que nos acometem diariamente. Porém, quero ver além disso, dos dias e momentos ruins. Quero constatar que tenho mais a agradecer do que lamentar. Quero comprovar que de fato eu tenho tudo para ser feliz. Quero aproveitar o simples e o agora em vez de planos mirabolantes para 'o ideal'.

Posso dizer, hoje, olhando pra trás e pra frente que sou muito sortuda por ter tanta coisa e tanta gente na minha vida, fazendo a diferença. Apesar de alguns contratempos o saldo é infinitamente mais positivo do que negativo.

Só peço que Deus continue me dando motivos e razões e entendimento para a cada dia eu perceber o real valor das coisas e das pessoas em minha vida.

Enfim, me sinto plenamente satisfeita, realizada, e feliz. Sobretudo comigo mesma.

29 de dezembro de 2015

28 de dezembro de 2015

27 de dezembro de 2015

Shen Tang


Uma mulher acordou uma manhã, olhou no espelho E percebeu que tinha somente três fios de cabelo na cabeça.
Bom, ela disse, acho que vou trançar meus cabelos hoje.
Assim ela fez e Teve Um Dia Maravilhoso.
No dia seguinte, ela acordou, olhou no espelho E viu que tinha somente dois fios de cabelo na cabeça.
Humm, ela disse, acho que vou partir meu cabelo no meio hoje.
Assim ela fez e Teve Um Dia Magnífico.
No dia seguinte, ela acordou, olhou no espelho e Percebeu que tinha apenas um fio de cabelo na cabeça.
Bem, ela disse, hoje vou amarrar meu cabelo como um rabo de cavalo.
Assim ela fez e Teve Um Dia Divertido.
No dia seguinte, ela acordou, olhou no espelho E percebeu que não havia um único fio de cabelo na cabeça.
Yeaa! ela exclamou, não tenho que pentear meu cabelo hoje!
Tudo depende de nós,
de como queremos enxergar as coisas.


26 de dezembro de 2015

Ninguém é obrigado a nada. Nem você...


Você não é obrigado a nada.
Você não precisa casar, nem ter filhos, se nunca desejou.
Nem fazer compras em Miami.
Não precisa ter aquela bolsa marrom, não precisa ter carro, nem amar bicicletas, não precisa meditar. Só precisa ter cachorro se quiser. Entender de vinho: não precisa.
Barco, casa no campo, Rolex, ereção toda vez, cozinha gourmet, perfil no Instagram… Não precisa.
Você não é obrigado a gostar de carnaval, nem de samba, nem de forró, nem de jazz. Você não é obrigado a ser extrovertido.
Não precisa gostar de praia. Nem de sexo você é obrigado a gostar. Balada, barzinho, cinema. Missa no domingo. Reunião de família. Não, você não é um ET se não estiver a fim.
Acordar cedo, fazer exercício, conhecer os clássicos, assistir os filmes do Oscar, a banda de garagem que ninguém conhece, você também não precisa conhecer. Paris, Nova York, Londres… Gosta muito de viajar? Não? Então não vá!
Tá sem namorado? Alguém vai dizer que você não é feliz por isso. E é mentira.
Seu cabelo não precisa ser alisado.
Você não vai ser muito mais feliz se for magro ou magra. Também não precisa gostar de comer.
Peça curinga no guarda roupa, perfume francês, dentadura perfeita, curriculum vitae, escapulário. Sucesso. Não, você não precisa dele.
Se for pra ser obrigado, nem feliz você precisa ser.


15 de dezembro de 2015

O Paradoxo do nosso tempo!



Bebemos demais, fumamos demais, gastamos sem critérios, dirigimos rápido demais, ficamos acordados até muito mais tarde, acordamos muito cansados, lemos muito pouco, assistimos TV demais e rezamos raramente.
Multiplicamos nossos bens, mas reduzimos nossos valores.
Falamos demais, amamos raramente, odiamos frequentemente.
Aprendemos a sobreviver, mas não a viver; adicionamos anos à nossa vida e não vida aos nossos anos.
Fomos e voltamos à Lua, mas temos dificuldade em cruzar a rua e encontrar nosso vizinho.
Conquistamos o espaço sideral, mas não o nosso próprio.
Fizemos muitas coisas maiores, mas pouquíssimas melhores. Limpamos o ar, mas poluímos a alma; dominamos o átomo, mas não nosso preconceito; escrevemos mais, mas aprendemos menos; planejamos mais, mas realizamos menos.
Aprendemos a nos apressar e, não, a esperar.
Construímos mais computadores para armazenar mais informação, produzir mais cópias do que nunca, mas nos comunicamos menos.
Estamos na era do fast-food e da digestão lenta; do homem grande, mas de caráter pequeno; lucros acentuados e relações vazias.
Esta é a era de dois empregos, vários divórcios, casas chiques e lares despedaçados. Esta é a era das viagens rápidas, fraldas e moral descartáveis, das rapidinhas, dos cérebros ocos e das pílulas mágicas.
Um momento de muita coisa na vitrine e muito pouco na despensa. Armários cheios e corações vazios.
Lembre-se de passar tempo com as pessoas que ama, pois elas não estarão por aqui para sempre.
Lembre-se dar um abraço carinhoso num amigo, pois não lhe custa um centavo sequer.
Lembre-se de dizer eu te amo à sua esposa e às pessoas que ama, mas, em primeiro lugar, se ame... ame muito.
Um beijo e um abraço curam a dor, quando vêm de lá de dentro.
O segredo da vida não é ter tudo que você quer, mas AMAR tudo que você tem!
Por isso, valorize o que você tem e as pessoas que estão ao seu lado . Cada um de nos esta exatamente onde devia estar!
 
 

11 de dezembro de 2015

Então já é dezembro...

Então já é dezembro...

E eu não sei se as coisas mudarão daqui pra frente, mas eu definitivamente resolvi mudar. Um novo começo sempre faz bem pra gente e no meu caso, não espero a virada do ano, já me viro sozinha mesmo, chuto o balde e vou adiante.

Vim a esse mundo para fazer a diferença e vou fazer a qualquer custo, vou viver, sentir, amar, perdoar, agradecer, querer o impossível, lutar e não ter medo de avançar.

Do meu lado quero gente bonita, simples, de coração aberto e livre para respirar o mesmo ar que eu respiro. Ando meio cansada de superficialidades e sentimentalismos. Aliás, ando estressada mesmo, sem paciência e motivação para tantas complicações complicadas. Ando meio que distante de gente cansativa. Ando me privando de estar na cia do que não vale a pena, coisas e pessoas.

Estou a fim de ser feliz e não em busca de felicidade. Existe uma grande diferença entre elas. No caminhar da vida, aprendi a sutil distinção. Porque eu acredito muito no pequeno valor das coisas que eu já possuo e que por alguns descuidos deixei de olhar, de admirar, de constatar, querer por perto, afagar, respeitar e amar. Então, eu te afirmo, eu já era feliz antes e não sabia, mas agora eu já sei e não perco essa chance por nada mais neste mundo.

Quanto ao último mês do ano, quanto a 2015 que já está em processo do fim, quanto as festividades que estão por vir, e as esperas que estão para se realizar, eu só sei dizer que estou pela vontade de Deus e aquilo que for meu há de me encontrar e o que for bom, chegará para ficar. To esperançando, to acreditando, to me fazendo casa de bons sentimentos onde os males do mundo e a má fé não têm vez. Aprendi que o segredo da boa velhice é ignorar os pequenos dodóis. E que sabedoria e conhecimento só servem para a gente saber usar bem com a gente mesmo.

Então, simplesmente desapegue de tudo o que rouba a sua espontaneidade. Aprenda que amor é um lugar pra dois, ou três, ou quatro. Que mesmo quando a vida se tornar fria, não pode deixar seu coração congelar. Hoje e todos os dias quero felicidade que se acumula e tristeza que se evapora. Menos mimimi e mais hahaha. Leve contigo somente o que vale a pena e sempre agradeça por mais um dia. A vida nos reserva mudanças, que venham... Ah e não esqueça de vestir o look da paz de espírito todos os dias. Livrai sempre de gente amargurada com a vida.

Não vou reclamar deste ano. Apesar das coisas ruins eu conquistei muitas coisas, nem que seja só experiência de vida, vivências e momentos, recordações e histórias. E vontade de viver tudo isso e muito mais, ano que vem...


8 de dezembro de 2015

Me sentindo em paz...


E que venha o que me faz feliz e o que é pra ficar! Pois é, pois o que eu aprendi com a própria vida é que se nós não nos fizermos bem, não nos amarmos e quisermos o nosso melhor, os outros também não tem obrigação de fazer nada disso por nós. Devemos nos amar, nos priorizar e colocar nosso bem estar em primeiro lugar e isso não é ser egoísta. É cuidar bem da gente mesmo, é ter um pouco de amor próprio, de respeito com a gente! Os outros tratam a gente a partir de como nós mesmos nos tratamos e permitimos que nos tratem! Demorou pra eu chegar aqui, mas cheguei, com sacrifícios mil. E não abro mão de mim mais, do meu bem estar, pois nada paga a paz de se sentir bem com você mesmo! Não é da noite pro dia, é vivendo e aprendendo, na verdade! O mundo, a vida, as pessoas e nós mesmos nos ensinamos constantemente. É um trabalho diário praticar certas coisas com nós mesmos. Coisas essas que às vezes somos excelentes para praticar com os outros. Espero sempre consigir da melhor maneira possível encontrar o caminho para lidar com o que não me faz bem, me libertar, resolver internamente meus conflitos e deixar ir o que não se pode mudar. E viver e ser feliz! Porque na verdade, é bem simples, só depende da gente mesmo pra muita coisa acontecer! Cada um de nós já tem uma carga grande pra carregar, não dá pra levar extras. Mas aí, é só a gente mesmo quem saber o que é melhor! Só a gente pode decidir a nossa vida e fazer o que tiver que ser feito nela. Nós somos responsáveis pelas nossas próprias escolhas, pela nossa felicidade, pelo caminho que percorremos e pelo que deixamos entrar e se instalar em nós. Nós somos responsável pelo que nos tornamos. Nós somos responsáveis pelo que permitimos. Nós somos responsáveis ao escolher as batalhas pelas quais vale a pena lutar. O engraçado é que somos responsáveis por muita coisa, mas a que menos nos importamos é sermos responsáveis por nós mesmos e nos fazermos bem, na maioria das vezes (e isso vale pra mim tb). Paz e luz! Serenidade e tranquilidade! Para mim e para todos ao meu redor...


4 de dezembro de 2015

Escolha o cara errado...


Escolha o cara que enche. Enche a sua vida com musica, alegria e projetos malucos. Enche a sua cabeça com ideias e planos para o futuro. Te enche e te preenche com tantos beijos e abraços que seria preciso mais uma vida inteira pra caber todos os carinhos com os quais ele quer te encher. 

Escolha o cara que rejeita. Rejeita suas próprias ideias e concepções de como um homem deve ser assim e a mulher assado. Rejeita uma versão antiga de si mesmo onde ele acreditava que ser homem significava várias coisas que o enclausuravam num universo restrito e triste. Rejeita tudo do seu passado que não lhe convém mais e aceita que mudou para melhor. Rejeita que lhe disseram que cozinha e área de serviço não é lugar de homem e hoje ele cozinha, lava e passa - muito melhor do que você.

Escolha o cara que insiste. Insiste em ser ele mesmo, em ter vida própria e que você tenha a sua também. Insiste em falar as coisas que talvez você não queira ouvir - mas precisa. Insiste que você está linda deste jeito mesmo e é claro que você pode ir ao cinema de legging e moletom, se quiser. Insiste em te fazer aquela massagem que você ama - mesmo quando você sabe que quem está precisando daquela massagem é ele.

Escolhe o cara que explode. Explode de alegria quando o seu time vence o milésimo campeonato sei-lá-do-que. Explode e transborda de tanta felicidade por um motivo que parece tão bobo pra você, que te dá uma alegria inexplicável ver esse homem/menino celebrar uma coisa tão simples com tanta euforia.

Escolha o cara que desaparece. Desaparece com a suas insegurança e o seu ciúme. Desaparece com a sua necessidade de ser ciumenta, porque ele é tão constante e presente que você entende que o ciúme nasce da desconfiança e do medo - tudo o que ele não te traz. Ele desaparece com os sentimentos ruins ue você carrega de outras histórias e te mostra que o ciúme não é (e nunca será) o perfume do amor e a confiança mútua é o que liberta vocês dois para serem felizes juntos, até quando estão em lugares separados.

Escolha o cara que some. Some com a louça suja e as sobras da geladeira para transformá-las em um jantar incrível. Some com todas as coisas ruins do seu dia só com a força de um abraço. Some sempre no início do dia quando vai trabalhar, mas nunca sem dar antes um beijo com a barba que roça na sua bochecha até você acordar, ou na testa um pouco mais demorado já cheio de saudade. E reaparece todas as noites pois não sabe mais dormir sem você. 

Escolha o cara que engana. Engana quem olha de fora e pensa que essa relação não vai pra frente, afinal ele não tem fotos suas no Facebook. Engana todos que pensam assim, porque ele não faz mesmo juras de amor eterno em redes sociais, mas faz pra você toda noite, deitado na cama ou fazendo o jantar. E só engana você quando diz que a comida que você copiou de um video na internet ficou maravilhosa. E tenta se enganar também para conseguir chegar ao final do prato.

Escolha o cara que reclama. reclama que queria a luz acesa para poder ver cada pedaço seu e diz que ama com tanta certeza cada dobrinha sua, que você aprende a se amar também. E afinal de contas, ele também não é perfeito. E você ama e aprende a amar todo o conjunto.

Escolha o cara que fecha. Fecha as cortinas para manter o escurinho do quarto e não te acordar quando ele tem que sair cedo. Fecha todas as portas com cuidado, e deixa só uma fresta do quarto pra te ver deitada e nunca fechar do pensamento o quanto ele queria estar do seu lado, enroscado em você.

Escolha o cara que não se importa. Não se importa se é buteco ou restaurante cinco estrelas, não se importa se é Paris ou Paquetá. Que é tão feliz e uma viagem pelo mundo quanto jogando dominó sábado à noite em casa com você. Porque disso tudo, a única coisa que importa, é que você esteja lá. Escolha o cara que não importe quanto tempo passe, quantas rugas, quantos fios brancos despontem da sua cabeça, te olha com aquele olhar apaixonado e de admiração que te faz viajar 50 anos no tempo - quando tudo começou.

Escolha o cara que erra. Erra o presente de aniversário (gostou mesmo da blusa de um ombro só com paetê prateado que eu te dei? Foi tão difícil escolher!). Erra na hora de comprar o ingresso do filme que vocês iam ver. Erra os itens de compra da lista do supermercado. Erra o seu prato preferido (mas cada hora você diz que ama um tipo de comida!). E não importa quais sejam os seus erros, na casa, na vida, com você, ele nunca se tem vergonha de dar um passo pra trás e admitir que estava errado. 

Escolha esse cara, que assim como você, é cheio de erros e defeitos, porque só duas pessoas tão erradas poderiam dar tão certo juntas.

*Casal Sem Vergonha


O que o silêncio causa...


Muitas vezes o que se cala causa mais impacto do que o que se diz...