11 de setembro de 2009

Tempo de aprender...

Hoje pela manhã, como de habitual, fui dar uma passada pelo meu Orkut, para responder os recados e deixar meus parabéns para os aniversariantes do dia, que infelizmente, não poderia dar de outra maneira. E, indo na página de um amigo querido, me deparei com a seguinte frase: “estou aprendendo a sorrir um pouquinho a cada dia. E você?” Pelo resto do dia a danada da frase não me saiu da cabeça. Parecem aquelas palavras ditas em dado momento de nossa vida que fazem toda a diferença. São tudo de que precisamos ouvir para que o quebra-cabeça se encaixe, para que as nossas ideias passem a fazer sentido.


Fui me dando conta de que, muitas vezes quero resultados imediatos, respostas prontas, que as situações sigam perfeitas até nas suas imperfeições e, na verdade o gostoso e apreciar o aprendizado. Como um passe de mágica começou a rodar um filme na minha mente de minha vida. Dos momentos importantes, divertidos, agradáveis, das pessoas que fazem parte dela, dos lugares que estive, de quem conheci nesta jornada louca e me dei conta de que o necessário para a felicidade estava comigo o tempo todo: eu!


Sei que sou ansiosa e às vezes (não, muitas vezes) quero um ano dentro de um mês. Anseio viver vários dias dentro de apenas um, e acabo atropelando o curso natural das coisas, que nem sempre é acelerado e, consequentemente, não aproveitando o que me proporciona de leveza, de curtição, de essência da pessoa ou do momento.


Óbvio que eu não acho que sei tudo. Ainda tenho muito a caminhar! E como... Mas quando penso que o meu aprendizado daqui por diante deverá ser complexo, nem sei explicar porque, talvez pela idade, pelo acúmulo de experiências, me deparo tendo que aprender uma coisa simples, boba, igual a uma criança. E junto a isto, experimentar sensações! Me reajustar, me perceber e renovar a mim mesma. Tarefa nada fácil! Depois que você aprende e se acostuma a agir e fazer de determinada forma é difícil voltar e fazer diferente. É como se depois de aprender a andar, ter que voltar e aprender a andar novamente. Lógico que na vida, nas situações cotidianas, onde temos que recomeçar, não agimos nesta proporção. Mas é uma superação aprender a viver cada dia como se fosse o último, aproveitando o máximo dele, mas sem perder o tempo do próprio dia, das pessoas, dos momentos e, principalmente o seu.


Bom, só sei que, para o meu desânimo momentâneo – coisa que algumas vezes me abate – parece que a frase serviu como antídoto. Me fez respirar mais fundo e expandir meu olhar sobre mim mesma e minha vida. E, sobre este meu amigo, não me resta dúvidas de que ele além de inteligente, é bom percebedor, (se existir esta palavra ,viu como não sabemos tudo? rs) das mazelas da vida de todos nós. E, para fechar dizendo que não só entendi o recado dele como aprendo a sorrir e a perceber coisas novas a cada dia, vai aí mais uma boa tirada dele, que, por motivos mil, acabou virando minha frase de cabeceira do MSN: “A única coisa que realmente importa neste vida, é o que somos”.

Você não acha??? RS

Beijos e bom fim de semana!!!

Um comentário:

Dama de Cinzas disse...

Eu aprendi a ser um pouco melhor do que eu era e isso me deu trabalho. No entanto tem épocas que eu retrocedo e viro uma mula empacada, como nessas últimas semanas. Geralmente é quando me confronto com situações estressantes que não dependem de mim a solução...

Beijocas