31 de dezembro de 2011

Feliz 2012



" Adeus ano velho,
Feliz ano novo,
Que tudo se realize
No ano que vai nascer.
Muito dinheiro no bolso,
Saúde pra dar e vender..."

Pode parecer piegas, mas esse ano, é tudo que eu quero!
Além, é claro de muita PAZ!


Todo final/início de ano fazemos um milhão de promessas que não são cumpridas. Desejamos um monte de coisas que não acontecem de fato. Falamos que tudo será diferente e não existe nada de diferente mais nessa frase dita ano após ano. E, depois de 12 meses, 365 dias passados, quando as coisas não saem como a gente imaginou lá no 1° segundo do ano novo, nos sentimos frustrados. Nos sentimos órfãos de nós mesmos!  Pois, depois de muita água passar por debaixo da ponte chamada vida, onde muitas vezes nos obriga a mudar o rumo da história e tomar decisões que não gostaríamos de tomar, ficamos com a sensação de desamparo e de perdidos. Nos tornamos outras pessoas e na maioria das vezes não somos donos de nós. Reagimos às ações que são feitas, quase como um "estímulo - resposta" inconsciente. E quando vemos, existe uma merda federal armada e nem sabemos explicar como aquilo tudo se deu. Mas, está lá, fomos nós que fizemos ou permitimos que fosse feito! E agora? Agora, é consertar! O mais difícil para a maioria das pessoas: se redimir, pedir perdão, desculpas, e tentar a reparar os erros. Então, foi o que eu mais fiz nesse ano de 2011: reparar os erros, feitos por mim ou causados por outras pessoas mas que repercutiram em mim. Não que isso fosse ruim. Embora eu tenha me estressado e me chateado bastante. Mas, me fez aprender um pouco mais sobre mim mesma. Ver um lado que eu não conhecia. Não sou tão compreensiva, tão calma, tão condescendente, tão pura e sincera como a maioria das pessoas dizem que me veem e eu acreditei. Também não sou tão forte quanto pensava e demoro a me recuperar de alguns baques da vida. Se isso me fortalece, não sei. Mas, me torna uma pessoa ao menos um pouco mais realista, sem muita poesia nos olhos e música nos lábios. Me senti engessada por algumas circunstâncias em muitos momentos e vi que autocontrole é tudo na vida de um ser. Não, eu não tenho, mas estou aprendendo a ter. Me magoei e me decepcionei muito com algumas pessoas, que você com a ajuda delas acredita que eram "x" e eram "z". Dói muito quando você julga que algumas pessoas não são capazes de fazer algo para te ferir se elas dizem que não vão fazer. Sim, elas vão fazer. Porque se a gente não pode garantir nossos atos, como vamos acreditar que outros podem garantir os deles? Não, não podem. Mas, eu espero sinceridade e honestidade! E nisso, acho que nunca vou mudar. Não quero que elas deem o melhor delas à mim só porque eu estou me doando à elas. Mas, que façam o melhor que puderem e não usem desculpas para justificar suas falhas ou falta de vontades. Nesse ano passado tive algumas perdas e que acho que levarei ainda um tempo considerável para lidar com isso. Não se trata de aceitar, se trata de saber conviver sem.

Mas, nem só de coisas ruins foram feitas 2011. Foi um ano difícil sim, confesso. Um ano de provações. Um ano de descobertas. Um ano de autoconhecimento e um ano de perdões! Com terceiros e comigo mesma. Mas, também, mesmo que em menor escala, foi um ano com bons acontecimentos. Aprendi que mesmo que as coisas não saiam como a gente planejou, não quer dizer que elas são ruins e que não vão dar certo. Muitas vezes, nos surpreendemos, esses acontecimentos inesperados é que dão mais certo que os planejados. Levei lição de moral da minha própria falta de senso e de percepção de constatar que as pessoas são mais do que aparentam ser. Aparência não é tudo! A 1ª impressão não é a que fica. E eu, já burra velha, deveria ter aprendido isso. E já tive várias outras oportunidades para tal. Outra coisa boa que aprendi é ficar mais serena. Não tão eufórica com expectativas. Procurar ver se vai ser de fato, aí, depois comemoro. Me aproximei de pessoas que hoje vejo que são muito especiais para mim. Fortaleci laços de amizade que valem mais do que muitos parentes que são parentes não por afinidade e sim por questão de sangue. Não há escolha, só há aceitação! Aprendi que falar o que sente e pensa é sempre 1000 vezes melhor do que calar, guardar, sufocar e pirar com isso! Confesso que na hora da raiva não falo da maneira mais bonita nem mais adequada, mas falo as verdades que ninguém tem a coragem de dizer. E sei que nessas horas, muitas vezes sou cruel pois faço questão de pisar e tocar lá na ferida. Sou boa nisso, deveria ser da polícia! Não me orgulho de agir impulsivamente, tô tentando melhorar. Consegui um emprego numa área que já tinha desistido faz tempo. E com ele, espero poder prosseguir com meu planos de casamento e montar minha casa. Nada melhor do que ter as suas coisas feitas por você. Fora a liberdade e independência financeira que o $$$ te proporciona. Estamos mais unidos, minha mãe, meu marido e eu. Meio que um cuidando do outro. Tô numa fase boa com a minha saúde. Minhas crises de enxaqueca quase não me perturbam mais. Talvez porque eu tenha aprendido a extravasar e não guardar.  Não tenho saído muito, mas as saídas poucas valem por 10. Todas inesquecíveis. Voltei a dançar, minha grande paixão. Tô vendo cada vez mais amigos os meu lado dispostos a me ajudar em todos os momentos e isso não tem preço que pague. Aprendi também que não importa o que você faça, nem quais são todas as suas melhores intenções, quando alguém não te aceita, ela não te aceita. Aprendi a deixar quieto e não me martirizar porque eu não agrado aos outros. E, principalmente, as pessoas mais importantes da minha vida, nos momentos bons, ruins, estando de bem ou de mal comigo, nunca me viraram as costas e sempre estiveram ao meu lado. Mesmo não concordando comigo. Mesmo me reprovando.

Nesse ano então, nada de promessas! Apenas pensamentos positivos, doar o melhor de mim para a vida, para minha família, meus amigos. Focar nos meus objetivos. Construir minha casa e fazer meu casamento. Desempenhar meu trabalho da melhor maneira possível. Dançar cada dia mais. Brincar com meus au aus que me deixam sempre muito feliz. Pedir à Deus que me dê forças e saúde para continuar batalhando, lutando, crescendo, não desanimando, persistindo e acreditando. Tentar não perder a fé nas pessoas, nas boas intenções, nos bons corações diante de tanta maldade, inveja, cobiça e agouro. E tentar ser feliz com os mínimos detalhes em cada dia. E fazer desse ano, aprendizado de 2011. E fazer acontecer 2012 em todos os sentidos.

E, para vc, amigo(a) que me lê, desejo tudo de melhor em 2012.
Pois isso é no mínimo, o máximo que vc merece!

Muitos beijos





3 comentários:

San disse...

rsrsr também não fiz promessas esse ano... no final acabo pulando etapas rsrrs mas que venha 2012 cheio de energia positiva e nos traga o melhor , passei para te desejar um ano novo maravilhoso, cheio do melhor e te agradecer a sua visita no meu seul , adorei te la comigo ! bjs, e apareça!

Dama de Cinzas disse...

Eu faço assim, Fê! Para não perder o costume, eu sempre faço minhas promessas para o ano que chega, mas as guardo para mim, e nunca é uma lista enorme de coisas fúteis, geralmente são de 1 a 3 desejos, concretos, totalmente viáveis que coloco como meta e normalmente eu cumpro o que prometo pra mim mesma.

Um excelente 2012 pra ti!

Beijocas

Talita Barroco disse...

Curti muitão sua reflexão.
Tenho certeza que 2012 será seu ano e com muito sucesso e alegrias.
Sempre estarei te apoiando.

Te amo!