27 de abril de 2013

A boa de hoje é a balada?


Adorei esse texto. Ele traduz sutilmente, como é a curtição da night hoje em dia. Virou uma estereotipagem. É quase que uma regra se portar, se vestir assim. Por isso, hoje em dia, pra ver isso, muitas vezes, prefiro ficar em casa. Porque diversão mesmo, daquelas boas não tem "ordem" para acontecer. Acho que tô ficando velha, rs. Intolerância é o primeiro sintoma. E o segundo é pensar: "será que eu fazia isso?", rs. 






"E aí, bora para noitada ???


Primeiramente, você chega na balada e observa que metade das mulheres estão com um vestido de elástico, já a outra metade está com uma regata branca ou top e por cima uma blusa fina, junto com uma saia alta ou short customizado.
Usando o insistente perfume 212, Angel e Light Blue. Mas até aí tudo bem pois o uniforme faz parte. Não muito distante disso você vê alguns homens com uma camisa polo com “número 43” nas costas e um cavalo gigante no peito, perfume one million e a barriga saliente, com as mulheres mais bonitas da festa. Alguns gastando dinheiro que não tem, outros gastando por gastar e outros como eu agora, pensando em como funciona tudo isso… Nesse instante por algum motivo você se sente diferente daquelas pessoas. Culturalmente instruídos a sempre segurar um copo na mão seguimos o nosso caminho em busca de algo que no fundo não sabemos se realmente faz sentido.
Alguns caras querendo se divertir e outros numa disputa inútil para ver quem é o mais frouxo. Frouxo simplesmente por não conseguir pegar uma mulher só com o papo, por não saber jogar esse jogo de homem pra homem, mas novamente até aí tudo bem..pois cada um usa e atira com as armas que tem.
Em meio a tudo isso, me pergunto: onde está a conquista?
Cadê o charme?
O ato de arrancar um sorriso sincero, de você?
Ficar com a mulher por ter falado a coisa certa na hora certa, sem sensacionalismo.
Só acho que as coisas estão perdendo um pouco da graça. Então depois de consecutivas experiências dessas, você acaba vendo que o mundo de balada é muito limitado e o mais importante, que o que você tanto procura, não está e nem estará ali.



De forma alguma estou dizendo que não gosto de balada, ou que balada é algo de pessoas “vazias”, mas infelizmente na maioria das vezes é isso que eu vejo, mulheres que só querem levantar seu ego e homens que acham que baixar um litro de bebida lhe faz ser o macho "top" da festa.
Cada vez mais as pessoas têm a necessidade de mostrar ser uma coisa que não são, e principalmente terem seu ego exaltado.
Agora só falta elas perceberem que isso não leva a lugar nenhum.



Chegamos num ponto chave da sociedade, onde máscaras valem mais do que expressões, garrafas de bebida em cima da mesa valem mais do que apertos de mão e companhias falsas valem mais do que uma conversa sincera com a menina menos atraente da festa.



Por fim entenda que você pode ser uma pessoa super charmosa, educada, inteligente ou qualquer outro adjetivo, mas se a outra pessoa não for equivalente, ela não irá perceber o quão valiosa você é.



Ficarei em casa hoje rs"




2 comentários:

Dama de Cinzas disse...

Excelente esse texto!!. Como algumas mulheres do meu trabalho estão solteiras tem surgido mais baladas para ir, mas sinceramente ando me cansando desses ambientes porque é isso aí mesmo que está no texto. Uma disputa frenética para ver quem pega quem. As mulheres com vestidos que mais parecem uma blusinha fina. Sinceramente não sou moralista, mas não vejo necessidade de colocar algo tão curto a ponto da pessoa não conseguir se movimentar com liberdade e no meio de todas essas mulheres estou eu, de calça jeans e blusa básica, quase que um E.T. naquela multidão... rsrs.

Não me sinto nessa vibe de busca frenética. Ainda acho que relacionamento acontece simplesmente. Por isso que agora quando me chamam procuro saber se a música é boa, porque vou só para dançar e enquanto danço esqueço de tudo... rs.

Beijocas

Anônimo disse...

Bela crítica,mas ainda sim acho que como outros lugares cada um tem seu foco! Por exemplo, ir se divertir sem se importar com esses estereótipos.