3 de agosto de 2012

DESENCONTRO




“E no meio de tanta gente chata, eu encontrei você... o mais complicado e o mais simples pra mim”. Que às vezes mesmo querendo estar comigo, não fala; mesmo querendo meu beijo, rejeita; mesmo querendo ser meu, ignora. É um vai e vem de pessoas, de rostos diferentes. E pensar que poderia ser qualquer uma delas, mas foi exatamente você. Vai entender! Melhor nem tentar entender!

A rotina é sempre a mesma: a espera, a música, o café no jardim do trabalho, o bom dia, a neblina, a saudade, a saudade, a saudade... A espera passa, a música acaba, o café esfria – na verdade ele é só uma desculpa pra lembrar de você no jardim, a neblina se desfaz, o bom dia já é boa tarde, a saudade... Ah, saudade! Por que você não acabou, esfriou, se desfez ou foi embora?

Ficar sem saber de você é ruim... mas saber é pior. A sua ausência também já estava na rotina, na correria do dia. Já estava quase passando. Algumas pessoas chatas, já estavam até ficando interessantes. Eu já conseguia ficar “...quase um segundo” sem pensar em você.

Mas a vida segue seu rumo “... e tudo vai indo bem. Venço o cansaço e o medo do futuro. No teu abraço que eu encontro a cura do mal. Hoje eu acordei e te quis por perto”. Bem mais perto do que eu te vejo quando fecho os meus olhos. “... lembrar você parece um dom”.

Por que você?
De todos que me beijaram,
de todos que me abraçaram, 
já não me lembro o nome, nem sei.
São tantos os que me amaram, 
são tantos os que eu amei.
Mas você, que rude contraste,
você, que tão pouco me beijou,
você, que tão pouco abracei,
só você, aqui dentro ficou... DE TODOS OS QUE EU AMEI.

Por que???


Jacline Ribeiro


Essa moça talentosa aí de cima é estreante de textos aqui no meu blog. Diz ela que não leva jeito, que os textos são ruins.  Não acho nem um pouco! Muito pelo contrário, eles são carregados de verdades e sentimentos, de propriedades que só pode dizer com convicção quem já passou por isso! Sou mega suspeita pra falar, pois além de gostar muito eu acho que Deus escolhe certas pessoas e dá o talento, o dom de fazer certas coisas na vida. Ela dança como ninguém, emociona com seus passos leves, olhar apertado, coração pulsante. Mas, é nas suas paavras onde ela realmente se despe e se mostra, de guarda abaixada o que espera da vida, além do que ela pode oferer à vida!


Jack amo muitão ♥

Volte sempre...

Um comentário:

Unknown disse...

Que lindo esse texto! Amei!! Parabéns Jack!