2 de outubro de 2012

Distanciamento necessário!


Às vezes, vivenciamos tão emotivamente uma situação, estamos tão inseridos nela, que a carga afetiva dela nos consume e nos toma de tal maneira que é necessário nos afastarmos, conseguirmos um certo distanciamento para que possamos enxergar com mais clareza e nos libertar da prisão que nos envolve. Muitas vezes a decisão é óbvia, a situação não é tão precária e a coisa não é tão "sem jeito" como achamos, mas estamos tão envoltos que não conseguimos respirar e pensar com clareza. 

Em alguns momentos me sinto assim... tão submersa em alguns problemas que não consigo enxergar soluções ou outras opções. Quem está de fora consegue ver com mais objetividade e clareza do que nós. Mas às vezes, por nos darem decisões simples, achamos que a pessoa não está vendo " a gravidade" da situação. Então, ou afastamos ou recusamos a ajuda, achando que ninguém nos entende melhor do que nós mesmos. Que nossos problemas e situações só tem grandeza e importância para a gente. 

Já passei muito por isso até aprender que hoje, por maior que a situação, o problema, ou algo esteja me consumindo, tenho que me afastar, me dar um tempo, primeiro para não surtar, segundo para pensar e terceiro, para decidir. Como diz aquele velho ditado: '"de perto, ninguém é normal!" É mais ou menos isso, de perto defeitos e problemas aguçam. De longe, eles têm a proporção normal e não a que damos.

Claro que nem sempre é tão fácil de fazer como é fácil falar. Mas a prática leva a perfeição. No início parece impossível, mas depois a gente se acostuma a fazer isso. É necessário, para nossa saúde, física e mental. Até porque, o que não tem jeito,não tem. Não adianta ficarmos remoendo noites e dias. E muitas vezes, o que tem jeito, às vezes só tem um jeito. Então, não adianta queimar a mufa querendo achar uma segunda ou terceira alternativa...

Muita água passou por deixo da ponte, muitas noites em claro, dores de cabeça, travesseiros molhados e dias sem esperança. E para no final, constatar que foi por nada. Porque o que tiver que ser, será. tem coisas que independem da nossa vontade. E o que depende de nós, tomaremos a melhor decisão. Mas, sem peso na consciência e consumação exacerbada.

E quem diz que nunca aprende, é mentira... nem que seja pelo cansaço.
Uma hora, todos aprendem...



3 comentários:

Tatyane Soriano disse...

adorei, vc escreve muito bem!! parabéns, beijos

Dama de Cinzas disse...

Quando a coisa tá muito feia, aqueles momentos que a gente dá uma surtada por não achar solução, aprendi que dormir é o melhor remédio. Se não der para dormir ver um filme tb dá um tempo para a minha mente, mas daí tem que ser o filme que consegue me tirar dos meus pensamentos.

Acho que quando a gente dá esse tempo, depois quando a gente volta para o problema ele não parece mais tão feio como antes.

Beijocas

Fê Miceli disse...

Boa dica Dama... vou colocar em prática!

Bjokas