22 de fevereiro de 2013

Vê se me erra!





"Que vontade de te xingar, que vontade de te bater. Vontade de fazer você sofrer de algum jeito já que com meu olhar cheio de lágrimas você não sente nada. Frio, impassível, indiferente. É assim que você permanece do alto do seu pedestal. Sempre tão cheio de si e de razão, acha que sabe tudo, mas na verdade você não sabe de nada! Quem você pensa que é pra me tirar do seu coração assim, de uma hora pra outra, sem mais nem menos? Quem você pensa que é pra virar pra mim e dizer "faz o que você quiser da sua vida daqui pra frente"? Quem você pensa que é pra ousar me dizer que eu vou ficar bem sem você? Estúpido, burro, egocêntrico idiota! Você quer pular fora, tudo bem. Mas não me use como desculpas... Assuma ao menos uma vez na vida a responsabilidade pelas suas atitudes. Não fui em quem mandou você ir embora, mas também não implorarei mais para você ficar. 

Me convenço cada vez mais de que não adianta nada conversarmos. Você continua inflexível em sua decisão e se recusa a olhar pra mim com um pouco de compaixão, já que amor, esse mesmo, que você disse que era enorme, verdadeiro e para sempre parece não existir mais. Posso saber o que você fez com ele? Sim, porque no mínimo você deve ter trancafiado ele dentro de algum lugar ou jogado ralo abaixo, porque não vejo como alguém não ama mais da noite para o dia. Não entendo como promessas podem desaparecer no ar... planos e sonhos viram nada. Você decidiu mudar de rumo no meio do caminho e esqueceu de me avisar. Me sinto pairando no ar sem uma rede embaixo(você) para me amparar. É divertido para você iludir alguém e depois que essa pessoa está na sua você vai lá e puxa o tapete dela? Isso é crueldade! Você no mínimo deve ser um sádico e gosta de ver o sofrimento porque senão não vejo nenhuma funcionalidade nisso. Agora você vem me dizer que não era o que você achava que ia ser? Porra, tá de sacanagem! Você não podia ter dito antes de me dizer que me amava, que eu era a mulher da sua vida, que você queria passar seus dias comigo e blá, blá, blá. Quanta consideração! E da noite pro dia, você tirar seus pertences do meu quarto, não pisa mais na minha casa, não me liga, some do mapa. Meu armário agora sobra espaço, e a casa vive arrumada. A tampa do vaso está sempre abaixada e cortina do box fechada. Mas eu juro, daria tudo agora por um pouco de desorganização. É maçante ouvir o silêncio que eu tanto reclamava que não tinha quando você via seu jogo de futebol aos berros esparramado na cama ou no sofá. Não tropeço mais em seus chinelos espalhados pela casa e não recolho mais meias e nem toalhas molhadas de cima da cama. Mas, de que adianta a casa arrumada se me falta paz no coração, hãn, me diz? Sim, porque foi muito fácil pra você virar as costas pra tudo que até ontem nós tínhamos. Então, me dá a receita.

Eu sabia! Eu sempre soube. Você ia me foder! E não só no sentido literal da palavra. Mas eu não quis acreditar. Quis achar que você tinha mudado, que era um novo homem. Me iludi achando que eu tinha conseguido transformá-lo em outra pessoa, bem melhor. Mas as pessoas nunca deixam de ser quem são né? Você só podia ter me dito isso antes de eu me envolver e estar completamente de quatro por você. Seria mais fácil sair de algo que nem tinha começado do que virar as costas para uma história. Mas, pelo visto, a história só existiu pra mim, só teve importância para mim, só eu achei que tinha um futuro pela frente. Filho da p#@*#@*!!!!!!!!!!!!!!!!

Ai que ódio, que raiva de mim!

Mas não, eu não te culpo. Não é culpa sua não me amar. É culpa sua me enganar. Não é culpa sua falar a verdade. É culpa sua mentir. Não é culpa sua mudar de rumo. É culpa sua me largar andando sozinha. Mas isso é bem feito pra eu para de endeusar quem não merece! Com a sua ajuda e total conveniência sua eu acreditei, você me fez acreditar. Mas era só para enaltecer seu ego, para seu bel prazer. Eu sinto que tenho forças para enfrentar o mundo. Os amigos que são contas, as ex que não largam do pé, a família que não aprova, o trabalho que não bate horário com o meu, o fim de semana afastados. Só não posso fazer você mudar de ideia e voltar a me amar. Posso aceitar um monte de coisas em prol desse imenso amor que me consome, já me humilhei, já me rebaixei, já gritei e chorei, só não posso, não quero e não aguento você me desprezando assim. Você quer que eu mude, eu mudo! Quer que eu não fale mais com algumas pessoas, eu não falo! Quer que eu me vista diferente, eu me visto! Quer que eu me comporte de outra forma, eu me comporto! Quer que faça promessas, eu prometo! Quer que eu jure amor eterno, eu juro! Eu faço tudo isso, se preciso for, pra ter você de volta como antes. Já me arrependi de ter batido o pé e isso ter me custado você. Vamos tentar? Diz que sim...

Eu já não durmo mais, não como direito, não consigo trabalhar e nem pensar em nada que não seja você. Meus dias são arrastados e a noite é um martírio. Passo os dias fazendo o mesmo trajeto: cama, banheiro, sofá, cama. Só choro e durmo. Choro e durmo. Choro e durmo. Essa distância de nós imposta por você está acabando comigo. Vivo hoje de expectativas: aonde e quando vou te encontrar. Sai na rua com olhar às espreitas a te procurar. Ao mesmo tempo, desejo que isso nunca aconteça, pois não sei se aguentarei te ver com outra pessoa. Beijando os cabelos, entrelaçando as mão, apoiando sua cintura, olhando nos seus olhos e falando doces palavras que não sejam para mim. Então, com medo, me tranco em casa! Me tranco em mim!

Eu sei que eu errei, ok? Sei que tive minha parcela de culpa em tudo que aconteceu, tá? Eu reconheço! Satisfeito? Quebrei meu orgulho em 1.000 pedacinhos. Minha razão ficou total estirada no chão. E vc? Agora é a sua vez. Faça alguma coisa! Eu já estendi a bandeira branca e dei o primeiro passo. Quer que eu dê o segundo? Ok... Mas porra, o terceiro, aí já é demais! Quem diabos você pensa que é para me punir por alguma coisa que eu nem sei o que é? Você tá aí, estendendo o dedo no meu nariz e apontando para meus defeitos e erros... e você, senhor certinho? És o dono da razão, né? Você não erra, não se arrepende, não volta atrás! Não se comove, não lamenta e nem amolece. Que tipo de pessoa egoísta e mesquinha é você que cresce diante do sofrimento dos outros? Você dita a verdade, escreve as regras... E ainda por cima vem me dizer que se arrependeu de tudo que disse e fez porque eu não dei valor? Pro C... você com as suas desculpas esfarrapadas. Não mete essa de valor porque se tem alguém aqui sem eles é você se fazendo como o melhor partido quando na verdade foi um tremendo de um sacana que me comprou com palavras e me fez acreditar em uma história que era furada. E agora, tô eu aqui na mais perfeita merda enquanto você está aí, desfilando sua solteirice para todas as piranhas do pedaço. Eu tô mal e você não tá nem aí... desconfio que você não se importa com alguém além de você mesmo. Mas sabe o que me mata mesmo? É não conseguir, mesmo sabendo o que tenho que fazer, fazer de fato. Não virar as costas de uma vez pra você, mandar você ir pro raio que o parta. Você se julga muito soberano, muito autossuficiente, muito confiante muito tudo. Você menospreza e minimiza os sentimentos, diminui as pessoas. Você está acostumado a nunca abrir mão de nada, a ser inflexível. Você faz o erro nunca parecer seu. E talvez não seja mesmo. Errado é quem escolhe você. Errado é quem escolhe esse amor doentio. Errado é quem se sujeita a ser pisado apenas para ser olhado. Errado é quem acha que só migalhas bastam para ser feliz. Errado é quem aceita suas condições malucas. Errado é quem não contesta nada. Errado é quem finge que está bem apenas para não desagradar. Errado é quem fica sabendo que tem que partir.

Me desculpa, eu te amo! Te amo muito mesmo. A ponto de passar por cima de tudo. Mas só se fosse para termos o que tínhamos. Ilusão ou não, foi bom. Não foi? Sei que foi! E sei que em algum momento você abriu uma brecha e me deixou entrar. Em algum momento eu tive um pedaço seu de verdade. Em algum momento eu signifiquei alguma coisa pra você de fato. Mas não dá mais para ficar desse jeito. Você vai me usar, me fazer sofrer e eu não vou revidar. Então é melhor partir agora! Assim sofro tudo de uma vez. E você, pode ir pro quinto dos infernos com essa cara blasé. Sua carranca fechada não me assusta mais. Me assusta mais essa dependência e a necessidade que eu tenho de você e que não cansa, não cessa, não para. E então vai ser assim, cada um pro seu canto, cada um pro seu lado, sem um “tchau”, nem “se cuida”. Fácil assim é vira e ir, sem lenço nem documentos. Levando apenas o cabe dentro do peito. Porque a bagagem é grande e pesada demais para levar. E nessa partilha, você pode então, ficar com a casa, as economias e o carro. Eu sou quero o cachorro!"

PS: história fictícia  - Por Fernanda Miceli

3 comentários:

Dama de Cinzas disse...

Para quem é isso, menina?

Fê Miceli disse...

Foi apenas uma momento de desabafo, amore... rs

Fê Miceli disse...
Este comentário foi removido pelo autor.