26 de julho de 2009

Vida longa após os 30!!!

A idade é um divisor de águas. Para uma parte das mulheres, é o limite onde se deve acontecer os objetivos de vida traçados por elas: casar, ter filhos, serem bem sucedidas nas carreiras, fazerem a viagem dos sonhos e se virem realizadas pessoalmente.

Já a outra metade se vê livre, total. Depois, antes, durante os 30, sempre. Aliás, não veem problema algum e não associam as neuras pessoais encruadas de cada uma com as crises da idade. Os 30 anos não é uma corrida contra o tempo!

Tenho lido muitos textos ultimamente sobre este medo de chegar nesta idade. E, curiosamente conversas sobre este assunto têm me cercado. Fico vendo algumas mulheres entrarem em pânico por se aproximarem da faixa etária trágica e me vejo sendo um ser de outro mundo por não me consumir desta forma. Nem me culpar por isto! Parece que junto com a idade vem o medo do fracasso. E o “se dar conta” do nascimento das rugas desperta a percepção que o tempo passou. Como se isto fosse o fim. Eu, particularmente encaro como sendo o começo. Imagino-me estando em um bom momento de minha carreira profissional, iniciando um núcleo familiar, esmorecendo a ideia de ser mãe (afinal os hormônios gritam ...) e desfrutando da bem sucedida fase de minha vida pessoal, onde já se devo ter vivido de tudo um pouquinho, obtendo assim, conhecimento de vida satisfatório. Mas também seu eu não me enquadrar neste padrão que eu mesma me impus, não vou morrer.

Gente, há vida após os 30! E há muita coisa para se fazer. Se nos redescobrimos a cada dia, após esta idade fatídica será a mesma coisa. Redescobrir a nova mulher que existe dentro da velha pessoa de sempre. Com novos gostos, novos olhares, novos sentimentos, e de repente se deparar que nada mudou. Ainda amamos, gritamos, choramos, rimos, temos TPM (maldita), mau-humor, amigos, namorados, família, filhos, trabalho, estudos, viagens, diversão e uma infinidade de opções ao nosso dispor, como sempre. Não entendo porque tanto estardalhaço!!!

Tá, tudo bem, não vou ser tãaaaaooooo generosa assim, rs. A pele não será mais a mesma, o físico possivelmente não e nem tão pouco a disposição. Mas o que o espírito, a personalidade tem a ver com a idade? Nada! Nunca tiveram. Disposição para viver a vida é o que conta. E uma vida bem vivida é o que vale não só os seus 30 como os 40, 50, 60 anos... Não é quantidade que traz satisfação, é qualidade. Mas isto é coisa que jovem de 20 não sabe, porque quer viver 30 anos em um fim de semana! Mas aos 30 saberemos disto.

Então, com os pensamentos em seus devidos lugares e sem acordar os hormônios antecipadamente, ainda me olho no espelho e converso com a Fe que vejo todos os dias e que reconheço. E não entro em desespero quando olho para a imagem dela refletida e vejo o passar do tempo nas marcas de expressão. Porque de resto, confesso, não sinto diferença alguma! Não há grandes mudanças ou peso extra pelos anos acumulados em minhas costas. Vejo o acúmulo de maturidade, de experiências, de amadurecimento, de riquezas e fraquezas que são só minhas e que tenho orgulho de com tudo isto, chegar aos 30. Se penso como vou estar daqui há 4 anos? (alguma mera coincidência??? rs) Claro que sim. Mas prefiro não fazer planos a tão longo prazo assim. A vida é cheia de incertezas e afinal... 4 anos, é muita coisa!
Quando eu chegar aos trinta, farei uma festança (coisa que nem gosto né?) ou uma baita viagem! Ficar em casa pensando que não realizei, não se concretizou, que ganhei um cabelo branco ontem e hoje amanheci com uma ruga a mais?

Rihanna que me desculpe, mas além de me apossar de um verso de uma de suas músicas mais tocadas nas rádios, ainda vou fazer uma pequena modificaçãozinha em prol do meu texto.

"Please, don’t stop de live!!!!"

Bjs

2 comentários:

Dama de Cinzas disse...

Olha, eu já passei dos 30 e não foi algo agradável. Mas depois a minha ficha caiu que com 30 e poucos anos ainda sou bem jovem, então desencanei. Acho que tem crises piores pra vir, a dos 40, a dos 50... Affe...

Beijocas

Vinícius Aguiar disse...

Bom, primeira vez que venho aqui, e adorei seu blog! Um tema interessante... do qual não posso falar muito porque não cheguei à idade do "desespero" ainda... rsrs
Mas acredito e admiro na maturidade, na compreensão maior das coisas do mundo, na beleza que é poder chegar à velhice, olhar para trás e ter a certeza de que se construiu uma história! Acho realmente bonito!

Parabéns pelo blog,beijos!