7 de janeiro de 2011

Mudança de Profissão: Técnica de Segurança do Trabalho

Já devo ter comentado em algum momento que atualmente, estou cursando Técnico em Segurança do Trabalho. A decisão não veio de uma hora para outra. Estava à procura de uma carreira que me proporcionasse lugar e crescimento no mercado, já que na minha área de formação, a comunicação, as oportunidades acabaram ficando muito limitadas a quem tem muita experiência no currículo, o que não é o meu caso e as famosas indicações QIs.  Após trabalhar como recepcionista em uma empresa de engenharia e poder ter mais contato com esta profissão, fui me interessando aos pouquinhos, até, por fim, depois de muita cabeçada e recusa na área de jornalismo e sem emprego, resolvi me matricular em um curso específico de Segurança do Trabalho.


Por mais que a gente pesquise a respeito de uma carreira, nunca sabemos o suficiente quando entramos na sala de aula e nos deparamos com os profissionais que lecionam mas atuam na área. Me encantei cada vez mais com a possibilidade de poder ajudar a minimizar os riscos existentes no local de trabalho dos funcionários, proporcionando-lhes bem estar físico e emocional, livrando-os de doenças ocupacionais, do trabalho e afastamento por acidentes de trabalho. Indo mais a fundo na profissão, somos praticamente como os educadores de hoje em dia: um pouquinho de tudo. Somos psicólogos, enfermeiros, supervisores, coordenadores, professores, amigos e conscientizadores. Tudo em um. Não é um trabalho fácil, mas é recompensante!


Há pouco tempo, depois de batalhar muito, pois já estava há 8 meses no curso, com a ajuda de amigos, consegui um estágio na ATP engenharia, em uma obra civil dentro da FioCruz. É muito engraçado, pois você chega no lugar achando que sabe alguma coisa nas experiências adqueridas em sala, mas percebe que está nu e cru, rs. Experiência mesmo você vai adquirir nos dia-a-dia, colocando a mão na massa, aprendendo "o pulo do gato" como diz meu supervisor e aprendendo a se virar com os perrengues que não estão descritos em nenhuma NR (Norma Regulamentadora do Ministério do Trabalho que estipula regras para a realização das atividades nos ramos de ocupação).  O técnico em Segurança do Trabalho tem uma área grande de atuação, visto que são 33 NR's ou seja, profissões que necessitam de um técnico atuando, mas eu escolhi a construção civil. Área um tanto quanto incomum para uma mulher trabalhar, pois os mais procurados são empresas de consultorias de documentos e medições e ramos empresarias como telemarketing, hospitais e um trabalho menos cansativo, que não exija muito esforço físico. Não sei porque, mas devido ao fato de já ter trabalhado com obras, mesmo que na parte administrativa, senti uma certa afinidade e facilidade para atuar com alguma desenvoltura nesse ramo.


Os primeiros dias foram pedreira. Não é fácil que 300 homens em média, "piões" mesmo, se acostumem com uma presença feminina no canteiro e ainda por cima que se reportem à ela. Aos pouquinhos, com simpatia, divertimento mas respeito fui conquistando meu espaço. Hoje, já passo comprimentando todos, muitos sabem o meu nome e sempre me atendem solicitamente ou quando demando o uso de um EPI, ou ação correta no trabalho, uma explicação burocrática, fazer uma dispensa médica ou curativo. Ainda há os que resistem, e sei que na encolha têm os que olham de rabo de olho com algumas intenções não explícitas para o próprio bem do ser pensante. Mas não passa disso! Todos já me conhecem e até me requisitam muitas vezes para tirar dúvidas sobre os procedimentos adequados. Já sou a Técnica Fernanda, rs. Ainda estou aprendendo e tem muita coisa que na teoria é uma e na prática é outra, como em qualquer outra profissão. Estes "por menores" ainda estou aprendendo a reconhecer, ter o famoso "feeling" e saber lidar com as situações mais inusitadas, desde com sindicatos, órgãos fiscalizadores à acidentes sérios e medidas urgentes.


Tenho a sorte de poder contar com dois mentores que com muita paciência e destreza, assim como todos que ali trabalham, inclusive os próprios piões, me ensinam, me conduzem e me auxiliam a qualquer hora. O que mais me chamou a atenção na empresa em si é que não há um diferencial no tratamento entre as pessoas, independente de cargos ocupados. E o segundo, é que os meus supervisores não retém nenhuma informação. O que para mim é excelente! Eles me mostram desde o certo até o "aceitável à fazer" dentro das limitações e possibilidades encontradas no momento da tomada de decisão (não muito certo, rs). Nem sempre faremos o correto, mas o que é necessário para não colocar vidas em risco.


E, curiosamente, mesmo trabalhando debaixo de sol, me privando de certas vaidades femininas como saltos, maquiagens e bijus, andando que nem uma condenada para cima e para baixo e não tendo nem privilégios e nem regalias por causa do sexo ( mais ou menos, né? rs ... Sempre rola uma peninha, rs) eu me sinto muito realizada. Parece que finalmente eu me achei. Também sou feliz por ter feito a faculdade de comunicação, que me proporcionou muito conhecimento e me ajudou abrir muitas portas profissionalmente até aqui. E, o principal, foi a faculdade que eu escolhi fazer, portanto, fiz com muito prazer. Mas neste ramos de Segurança do Trabalho eu me achei. E não creio que tenha sido pela decepção com a carreira de jornalista, sem conseguir emprego. De certa forma, aqui, ali, sempre acabo escrevendo meus textinhos, nem sempre com conteúdo jornalístico, mas sempre atrelado a informações e reflexões. Eu de fato estou feliz com a minha escolha. Confesso, mais feliz ainda por perceber que é uma profissão que tem grande propenção à prosperidade por causa das inúmeras obras da Copa e das Olimpíadas no Rio, 2014 e 2016 consecultivamente. Também por ser uma profissão bem remunarada e proporcionar conforto, sucesso e me fazer estar aonde eu almejei estar, conseguindo realizar meus objetivos pessoais. Estabilidade, não existe muita não. O futuro é incerto. Até quando o MTE nos fizer necessários nos ambientes de trabalhos estaremos assegurados pela lei que exige que "acima de 20 funcionários tenha um técnico responsável por eles e suas atividades".


Seguindo a link acima, uma breve descrição das atribuições de um TST e sua importância: O técnico de segurança do trabalho é um profissional com formação pelo ensino secundário, regulado pela Lei nº 7.410, de 27 de novembro de 1985. Dentre suas atribuições, definidas pela Portaria nº 3.275/89, do Ministro do Trabalho, destacam-se a informação do empregador e dos trabalhadores sobre os riscos presentes no ambiente de trabalho e a promoção de campanhas e outros eventos de divulgação das normas de segurança e saúde no trabalho, além do estudo dos dados estatísticos sobre acidentes e doenças relacionadas ao trabalho. Na Classificação Brasileira de Ocupações (CBO), editada pelo Ministério do Trabalho e Emprego, o técnico de segurança do trabalho recebe o código 3516-05. A CBO registra que este profissional deve participar da elaboração e implementação de políticas de segurança do trabalho, entre outras funções. As empresas podem ser obrigadas a contratar técnicos de segurança do trabalho para integrar o Serviço Especializado em Engenharia de Segurança e em Medicina do Trabalho (SESMT), em razão de seu código na Classificação Nacional de Atividades Econômicas (CNAE) e número de empregados. A obrigação está prevista no artigo 162 da Consolidação das Leis do Trabalho e detalhada na Norma Regulamentadora nº 4, aprovada pela Portaria nº 3.214/78, da extinta Secretaria de Segurança e Medicina do Ministério do Trabalho (atual Secretaria de Inspeção do Trabalho). A equipe do SESMT pode ser composta também por engenheiro de segurança do trabalho, médico do trabalho, enfermeiro do trabalho e auxiliar de enfermagem do trabalho. A categoria é representada pela Federação Nacional dos Técnicos de Segurança do Trabalho, entidade vinculada à Confederação Nacional dos Trabalhadores no Comércio (CNTC).

O dia do técnico de segurança do trabalho é comemorado em 27 de novembro. E abaixo, segue uma oração que me foi passada por um amigo do curso, que é um resumo das nossas metas e obrigações, cumprimento do dever.

"Senhor, quero te agradecer pela oportunidade de poder ajudar as pessoas através do meu trabalho. Faça de mim um instrumento de promoção da vida dos trabalhadores. Que os trabalhadores possam retornar às suas famílias no final do dia com saúde e integridade física preservada. Peço que me ilumine na orientação das pessoas que resistem a cuidar de suas próprias vidas e que todos os trabalhadores abram seus corações para escutar e assumir minhas orientações e estas sejam sempre corretas e abençoadas. Dai-me humildade para entender as resistências, dai-me perseverança para não desistir às dificuldades, dai-me palavras sábias, para que penetrem nos corações daqueles que ignoram a segurança do Trabalho.Dai-me sabedoria para analisar os acidentes, quando eles ocorrerem, e que minha mente e meu coração conduzam minhas atitudes para melhorar o processo, e não somente para buscar culpados.Dai força aos acidentados, para que eles tenham uma recuperação rápida e abençoada. Daí força às famílias dos acidentados para superarem as perdas indesejáveis. E por fim Senhor ajude-me para que com tua força e bênçãos posso ser um exemplo de Saúde e Segurança no desempenho das atividades profissionais.

Amém e assim seja."


"É DEVER DE UM TÉCNICO DE SEGURANÇA DO TRABALHO NUNCA PERMITIR QUE A INTEGRIDADE FÍSICA DE UM TRABALHADOR SEJA COMPROMETIDA EM RAZÃO DE LUCRO OU DE PRODUÇÃO"
 

8 comentários:

Darcy Mendes disse...

Posso confirmar que escolheste bem a profissão. Estou na área há quase 30 anos e cada vez mais as mulheres vão conquistando espaço nessa profissão que até bem pouco tempo era exclusividade masculina. Na empresa onde trabalho tenho duas colegas de profissão e mais umas 5 ou 6 que trabalham nas terceirizadas. É bom ver que a mentalidade nas empresas estão mudando. Boa sorte na carreira.
Tenho um blog sobre segurança do trabalho. Se quiser dar uma passada por lá ou até escrever algo(vi que você escreve bem, aliás, isso é muito importante na vida profissional de um técnico). Pois é. se quiser publicar alguma coisa é só entrar em contato.
Abs.
Darcy Mendes

Adriana Monteiro disse...

Olá, gostei muito sobre o que disse sobre Segurança do Trabalho.
eu tenho 16 anos e já sonho em fazer meu curso. Leio muito sobre o assunto, espero começar fazê-lo no início de 2012, espero q quando eu estiver com 18 já saiba o suficiente, sobre esse trabalho tão gratificante.

simone araripe disse...

Ola adorei seu blog,estava com dúvidas qual curso eu faria ano que vem entre radiologia ou tst e fiquei maravilhada agora sei qual irei fazer tst,vc me ajudou bastante pois na cidade que moro esta crescendo muito na réa da construção civil e também tem tem a petróbras que fica na minha cidade queria muito fazer este curso mais tinha um pouco de receio pela minha idade tenho 36 anos mais sempre pensei em algo diferente como esse que o principal ajudar pessoas e adquirir mais experiência beijos obrigada pela ajuda.

Isaac Bruno disse...

Adorei seu blog leio bastante ele e posso dizer que concordo plenamente com tudo o que você disse, pena que o técnico não é visto sempre com esse perfil, sou técnico em seg do trabalho também e posso dizer que é muito gratificante poder atuar nessa área

Robert hiran disse...

Olá sou Roberto Oliveira, E gostei muito do seu blog, sou técnico de Segurança do Trabalho e pode ter certeza que a prioridade em meu trabalho é preservar vidas,sempre.

Gérson Gemerasca de Oliveira disse...

A cada novo depoimento sobre a relação segurança,sinto ser correta a escolha que tomei em cursar técnico em segurança do trabalho pois abrange muito mais conhecimento a se adquirir, por haver essa presença constante, com o dia a dia de pessoas que com precisão ter que ser ouvidas e cuidadas....

Anônimo disse...

Adorei o seu blog, se Deus quiser vou iniciar meu curso em fevereiro de 2013, e a cada materia que leio a respeito dessa profissão, mais eu me convenço que esse é o meu caminho, eu fiz recentemente um curso básico a distancia de segurança do trabalho, e a partir disso descobri o meu caminho, até hoje eu não cursei uma faculdade ou curso tecnico por não conseguir me decidir por uma profissão, eu queria fazer algo que pudesse ajudar as pessoas de uma certa maneira, e descobri a profissão tecnico em segurança do trabalho, depois de ler sobre sua postagem sei que não terei nenhuma duvida de que essa será a minha profissão, parabéns pela postagem, certamente que esta em duvida deixará de ter apos ler!!! obrigada m forte abraço

Anônimo disse...

Adorei o que você escreveu. Eu estava muito insegura em relação ao curso, por que não tenho mais tempo a perder, já estou com 36 anos e estou precisando voltar ao mercado de trabalho. Tive que deixar de trabalhar por causa dos filhos, mas agora a situação apertou e estou disposta a enfrentar as dificuldades para me formar e me tornar uma boa profissional. Valeu mesmo!!!