8 de outubro de 2011

Sai da frente que hoje eu tô raivosa!


Ultimamente, tem sido foda! Parece que ando com uma mega nuvem igual a essa aí da foto 24h por dia pairando sobre a minha cabeça. Meu humor anda mais negro que céu à noite. Ando à flor da pele, irritando-me com o mínimo ao meu redor. Todos dizem que é uma fase. E se é de fato, ô infelicidade a minha. A bendita não me larga nem a caralho! Xôooooooo, Sai fora... Larga do meu pé, chulé!

E o pior é que não é só os dias que andam ruins, meu humor também anda péssimo. Oscila que é uma beleza. Ao acordar até a hora de deitar, tudo quanto é expressão idiomática para exemplificar esse sentimento eu tenho vontade de fazer: chutar cachorro, arrancar os cabelos, gritar insanamente, xingar Deus e o mundo, tô mordendo até vento e o que minha mãe mais me diz é: pelo tamanho da tromba já imagino a força da patada!

Tô insatisfeita comigo mesma. Na verdade, tô de saco cheio de fracassar! E não aguento mais as mesmas frases clichês que todos dizem tentando amenizar o problema e que na verdade, só piora: "Calma, tudo vai se ajeitar, vc vai ver!"; "Pensa positivo!"; "Tenha fé!", "Seja persistente!"; "Não desiste, a vida tá difícil pra todo mundo!". Desculpa decepcionar a todos, mas fiz um coquetel com todos esses pensamentos e conselhos e não têm adiantado muita coisa. Nada muda, nada acontece, a não ser eu tentar exercitar a minha paciência. Que, comprovadamente, diminui a cada ano, consideravelmente!



Não vou ser radical e menosprezar as boas intenções de familiares e amigos para me animar. Mas, o fato é que tenho constatado que ações levam um ser a algum lugar, pensamento positivo, no máximo eleva sua alta estima e ajuda a cultivar a esperança. Sim, muitos dizem,  pensar positivo já é um começo! Só que tudo que começa nunca termina, nem sequer chega no meio.

Fico agustiada, chateada, magoada e cansada de mim mesma. Tô exausta de nadar, nadar, nadar e sempre morrer na praia. Versos poéticos são lindos quando dizem que o que importa na vida não são os resultados e sim a caminhada. Pode até ser, em alguns casos. Mas, tentar ver as coisas pelo lado bom não paga as contas. Achar que fiz a minha parte não me ajuda profissionalmente e nem sacia minhas necessidades. Sim, eu fiz a minha parte, mas e daí? Quem liga? De que serve? Ninguém se arvora a me dar uma única chance de demonstrar meus conhecimentos. E sinceramente, cada vez mais desestimulada, me pergunto de que me adiantou tanto estudo, aprimoramento, capacitação, curso disso e daquilo  e o escambau a quatro se continuo à deriva, sem perspectivas profissionais, sem promessas de portas se abrirem, sem continuar não realizando meus objetivos?

Não, nô tem nem um pouco a fim de ficar repetindo isso no espelho, tentando me convencer de que tudo valeu a pena e um dia o reconhecimento e as tão almejadas oportunidades virão. Tô a fim de mandar todo mundo é tomar naquele lugar. Sei que em nada vai melhorar minha situação, mas de repente eu despejar cobras e lagartos boca à fora ajuda a diminuir a tensão. Me enchi de tentar rumar junto com as novas tendências do mercado, nessa baboseira de capacitação, procurar novas oportunidades blá blá blá blá.... Perdi tempo e dinheiro investindo em estudo e aprimoramento pra dar com os burros n'água como dizia minha avó. Principalmente o fator tempo, é o que mais me incomoda! Pô, pera lá! 28 anos na cara. Três profissões nas costas, nenhum emprego no momento e planos que nunca se concretizam, nunca acontecem. O tempo tá correndo e eu quero arrumar minha vida. Quero ser independente financeiramente, através do meu emprego. Me sentir útil, reconhecida, valorizada. Aí, tento não esmorecer diante das dificuldades, sacudir a poeira, bola pra cima e ir em rumo de outra coisa. E, tempos à frente, a mesma sequência decepcionante e frustrante se repete. Sou professora, jornalista e técnica de segurança do trabalho. E as únicas coisas que tenho em comum dentre essas três profissões são: a tentativa de rumar para outro campo por falta de trabalho, estudar coisas que eu gosto e que queria, e continuar com o status "desempregada" após cursos, faculdades, diplomas, certificados, experiência de estágios, de empregos e mais algumas coisinhas que só me serviram até agora para incrementar meu currículo. O que o raio do mercado de trabalho quer afinal? Estudo? Eu tenho! Capacitação? Eu tenho! Experiência? Eu tenho! Um pouco em cada área. O que mais ele quer de mim, agora?

P..., C..., M..., PQP 30 vezes! Tô Fú e mal paga!




Bom, de acordo com tudo relatado acima, estou num ciclo vicioso de raiva com um acréscimo de desânimo. Exclusivamente hoje, ontem, anteontem e o resto da semana RAIVA! Não se preocupem leitores, sou vacinada. Que tem início, meio e ainda não achei o fim. O problema é comigo? Não sei, mas tô começando a achar que sim. Muita coisa dando errada para uma só pessoa. Ou não sou competente e sim um fracasso ambulante ou, vendo pelo lado positivo, como as pessoas tentam me convencer, sou muito azarada. O que diante de tudo, já acho até que é o de menos e tô no lucro. Um banho de ervas e sal grosso resolveria, se fosse só isso mesmo. Nem reza nem vela, nem promessas pra Santos ou consultas com Orixás para abrir caminhos. De acordo com meu signo, não está descrito nenhum período de inferno astral. Meu mês de nascimento não é de mau agouro. Então, alguém me explica o que está havendo? Eu não sei mais o que pensar. Só consigo sentir. raiva de mim, da situação, da estagnação que me encontro, e da minha vida que parece uma areia movediça, quanto mais eu ando, mais me afundo. Tô até com medo que isso seja contagioso! Nem tô querendo sair de casa com risco de passar isso aos demais e aí, mais uma culpa na minha conta já atolada e sem previsão de pagamento para saudar a dívida. Aiiiiiiiiiii dia, termina logo! Não, termina o mês. Não, o ano logo de uma vez! Ah, sei lá... tanto faz! Já nem sei! Que algo aconteça, pelo menos para eu saber que existe alguém em algum lugar, nem que seja lá de cima lembrando que eu existo. Poxa, ao menos uma chancezinha eu gostaria de ter, pois só derrota ninguém merece! O engraçado da história é que nos demais campos: família, amor, amizades, saúde, não tenho do que reclamar. Estranho isso não? Parece que só uma parte de mim está empacada. Ou não soube fazer bem as minhas escolhas, ou sou um desastre ambulante de incompetência. Acho que nem de faxineira eu arrumo serviço. Garota de programa não mais, porque meu corpo também resolveu não contribuir.  E ainda assim, a vaga deles deve pedir no mínimo 3 anos de carteira comprovadas na função...


Desisto então... FODA-SE O MUNDO!!!


Um comentário:

Dama de Cinzas disse...

Sei bem como você tá se sentindo e pode deixar que não vou dizer nenhuma frase feita, porque odeio que me digam quando estou com raiva. Quando estou P da vida quero soltar os bichos e pronto, não me venha dizer pra ficar calma, que vai passar, que eu fico pior.

Por isso que quando estou mal me fecho numa ostra, pra não ouvir conselho idiota de ninguém.

Tem mais ou menos 1 anos e meio que estou numa fase muito ruim da minha vida, agora melhorando e acho que vejo luzes no final do túnel. Mas já me senti exatamente como você.

Beijocas