15 de março de 2011

Receita do Dr. Dráuzio Varella

Acabou o carnaval e agora, ao ano começa de fato. Desde final de dezembro, o natal emenda com o ano novo, que vem seguido das férias e que se enrola com o carná. Este ano, o carnaval saiu do tradicional mês de fevereiro e veio parar em março. Um pouco longe para os foliões brasileiros que adoram este vasto e longo período de festas. Encerrando a temporada de folia, o Monobloco, como sempre, arrastava uma multidão de pessoas pelas ruas do centro do Rio, e encerrou com muita diversão, música e alto astral e semana carnavalesca. Nem o tempo ruim desanimava os que queriam curtir até o último minuto do que chamamos de carnaval.

Eu, não resisti e me rendi a folia e diversão tradicional popular. Como o Monobloco é um dos blocos que mais curto e muitos amigos iriam, me arrisquei a ir, mesmo depois de todos os contras que relatei aqui dias atrás. Realmente, pra lá de cheio o bloco tinha suas inconveniências. Mas deu pra gente se divertir e curtir e fechar o domingo com altas risadas...

Bom, mas, depois da festa, a vida segue normalmente e com ela temos que voltar às nossas atitudes normais, cotidianas, reais. Porque no carnaval, como tudo é festa, muitas vezes assumimos uma postura que não é a nossa, porém, que muitas vezes nos faz bem. E, a incorporamos com a desculpa da farra, da bebida, da época do ano, do clima de descontração e depois, volta tudo "ao normal". e, muitas vezes essa postura que nos faz bem some por medo de censuras ou represálias típicas de incompreensão e rotulações. E é sobre isso que une mail muito legal de uma querida amiga e jornalista Dani Masi, veio à calhar, justamente quanto eu estava à pensar nisso. Ele fala que a receita de vida que faz bem para nossa alma, corpo e coração, segundo o conceituado médico Dr. Dráuzio Varella é sobre tomar decisões e falar dos sentimentos. Achei o máximo, justamente porque estava analisando a conduta de uma amiga em especial em algumas datas marcantes e, fora delas... Vou dividir com vocês e tentar seguir essa receita também. Pelo visto, não tem contra indicação e mal não vai fazer!


FALE DE SEUS SENTIMENTOS, TOME DECISÃO, SE ALIMENTE CORRETAMENTE...

Se não quiser adoecer – “Tome decisão”.
A pessoa indecisa permanece na dúvida, na ansiedade, na angústia.
A indecisão acumula problemas, preocupações, agressões.
A história humana é cheia de decisões, para decidir é preciso saber renunciar, saber perder vantagem e valores para ganhar outros.
As pessoas indecisas são vítimas de doenças nervosas, gástricas e problemas de pele.


Se não quiser adoecer – “Busque soluções”.
Pessoas negativas não enxergam soluções e aumentam os problemas.
Preferem a lamentação, a murmuração, o pessimismo.
Melhor acender o fósforo que lamentar a escuridão.
Pequena é a abelha, mas produz o que de mais doce existe. Somos o que pensamos.
O pensamento negativo gera energia negativa que se transforma em doença.


Se não quiser adoecer – “Não viva de aparências”.
Quem esconde a realidade, finge, faz pose, quer sempre dar a impressão de que está bem, quer mostrar-se perfeito, bonzinho, etc..., está acumulando toneladas de peso... uma estátua de bronze, mas com pés de barro.
Nada pior para a saúde que viver de aparências e fachadas.
São pessoas com muito verniz e pouca raiz.
Seu destino é a farmácia, o hospital, a dor.


Se não quiser adoecer – “Aceite-se”.
A rejeição de si próprio, a ausência de autoestima, faz\ com que sejamos algozes de nós mesmos.
Ser eu mesmo é o núcleo de uma vida saudável.
Os que não se aceitam são invejosos, ciumentos, imitadores, competitivos, destruidores.
Aceitar-se, aceitar ser aceito, aceitar as críticas, é sabedoria, bom senso e terapia.


Se não quiser adoecer – “Confie”.
Quem não confia, não se comunica, não se abre, não se relaciona, não cria liames profundos, não sabe fazer amizades verdadeiras.
Sem confiança, não há relacionamento.
A desconfiança é falta de fé em si, nos outros e em Deus.


Se não quiser adoecer – “Não viva sempre triste”.
O bom humor, a risada, o lazer, a alegria, recuperam a saúde e trazem vida longa.
A pessoa alegre tem o dom de alegrar o ambiente em que vive.
“O bom humor nos salva das mãos do doutor”.
Alegria é saúde e terapia.

 
Dr. Drauzio Varela
 

Um comentário:

Dama de Cinzas disse...

Alguns desses ítens eu já ponho em prática. Mas decidir para mim ter sido um problema, eu decido demais... ahaha... Creio que um pouco de indecisão me faria ficar mais criteriosa... rs

Beijocas