23 de maio de 2011

E depois a culpa é sua...



Nossa, arrumar estágio é pior do que arrumar emprego! Porque emprego, em determinadas áreas tem um monte. Se vc vai ser escolhido ou se adequa à vaga, é outra história. Mas, estágio, é como garimpar um diamante. E o pior: em determinadas carreiras, ele é essencial para você pegar o mínimo de experiência sobre aquilo que você só vê dentro de sala de aula, na teoria.

Hoje em dia com a tecnologia existe várias formas de obter conhecimento. Na internet você encontra de tudo. Até no You Tube você acha vídeos sobre os mais variados assuntos. Mas, duvido muito que um médico, advogado ou engenheiro vão conseguir realizar bem suas profissões se baseando apenas nos vídeos de passo a passo. É necessário estágio para se ver na prática como funciona o negócio. E é geralmente, nessa hora, que a gente testa ou não a vocação do fulano para a coisa. Porque tem gente que sinceramente, não nasceu para fazer aquilo que escolheu, mas isso já é papo para outra conversa, rs.

O estranho é que o tão difícil estágio, além de ser porta de  entrada geralmente, para o 1° emprego e te fazer colocar em prática a teoria aprendida em sala de aula e que vai te ajudar a ser um profissional "x" ou "y". Só que na seleção para conseguir um a exigência é alta. Cada vez mais qualificações e num espaço curto de tempo. A pessoa com mais ou menos 21 anos tem que ter aptidões comprovadas em informática, línguas - plural - e de preferências experiências/vivências no exterior. Além de projetos ou títulos, deixa o currículo bonito. Fora que nunca vi: para estágio, tem empresas que pedem experiência na função! Como??? Se eu nunca exerci, como vou ter experiência? Besta!

Aí, se você está no final do curso, eles desejam estudantes dos primeiros períodos. Se você está no início, eles preferem alguém já terminando porque já tem mais conhecimento. Sempre a mesma coisa: ou você sabe de mais ou de menos, Ou, sem estágio, fica arriscado a não saber nada de nada!

E hoje, há uma infinidade de cursos técnicos jorrando profissionais no mercado e com um tempo de duração curto, dito por mim, para se aprender visivelmente muito bem a função que vai exercer. Áreas que em faculdades duram em torno de 4 a 5 anos, em cursos técnicos você consegue em 1 ano e meio, 1 ano no máximo. Óbvio que fica faltando alguma coisa, concordam? Aliás, muita coisa! Pois os cursos, faculdades e escolas querem aumentar sua renda com o maior n° de alunos possível e para atender uma grande demanda, tem que encerrar uma grande demanda. Não é que não ensinem direito, até porque isso tb já é outra conversa, mas o ensino é corrido, muito reduzido, compacto, objetivo demais para determinadas áreas de atuação. Por isso, o estágio é fundamental para complementar esses ensinamentos e muitas vezes, te fazer ver em situações ensinamentos que em nenhuma sala de aula você vai aprender. É coisa que só aprendemos mesmo na prática. Não tem jeito! E, muitos cursos cagam e andam para essa questão. O estágio em alguns cursos para determinadas carreiras não é obrigatório, mais. Como assim? Fico pensando eu!

Tô cursando segurança do trabalho. É uma carreira de responsabilidade, comprometimento. Lido com vidas. E para zelar por elas, tenho que ter certeza do que estou fazendo. Há pessoas que confiam que você sabe o que está fazendo, por elas. Não fazer por "achismo". E com certeza, muito conhecimento está além das paredes das salas de aula, por mais capacitados e renomados que sejam os professores. Só o campo, as empresas, o dia a dia, e a vivência vão me trazer a segurança e a certeza necessárias para exercer essa função. Mas, aonde e como eu vou conseguir tudo isso? Em casa? Contando com a boa vontade das empresas em acreditar em mim que eu sei o que estou fazendo e faço bem? Futucando na internet?

E o estágio é o diferencial do aluno, futuro profissional, sim. Meio caminho já está andando se constar no currículo que o fulaninho de tal tem estágio. Se é bom aluno é outra coisa. Mas ele estagiou em uma empresa. E dependendo da empresa, tem um peso que você nem sabe. Abre quase que as portas do paraíso! Mas, em contrapartida, aquele fulaninho que é F...  em maiúsculo e ralou, ralou, mas não conseguiu o estágio, pode perigar a ficar de fora de um processo seletivo e perder sua vaga para um "encostão" mas que de repente, por ser peixe, conhecimentos ou por pura sorte, bunda virada para a lua conseguiu o "TAL" estágio e isso faz a diferença.

Acho uma tremenda sacanagem...
No meu curso, por exemplo, há 5 ou 6 alunos sedentos para darem seu sangue nas empresas, mostrar seu potencial e começar a construir a escada do seu sucesso, fazer seu nome. Mas não tem oportunidades e sem elas não há chances. É frustrante! Estou me sentindo péssima. Porque gosto muito do que faço e infelizmente, saí da empresa em que estava porque o meu contrato chegou ao final e por algum motivo burocrático, não renovaram. Qual a vantagem que eles ganham com isso? Investir, capacitar e treinar um outro profissional que não está adaptado a empresa, suas regras e seus funcionários?

Enfim... é esperar para ver no que dá. Só acho muito engraçado quando vejo alguns profissionais dizerem que a vida de estudante é moleza. Não sei aonde!!! Só se tiver sido a deles...


Um comentário:

Dama de Cinzas disse...

Sou funcionária pública da área de direito e te digo que existem estágios e estágios. Em alguns a empresa está interessada em formar um profissional para quem sabe aproveitar. Em outras, como no serviço público, querem mesmo um burro de carga para fazer o trabalho pesado.

Mesmo nos escritórios de advocacias, usam muito o estagiário para ficar indo ao fórum acompanhar processo, coisa que não faz a pessoa aprender quase nada. Bom mesmo seria o estagiário ficar no escritório participando da rotina de um advogado.

Enfim...

Beijocas