29 de junho de 2011

Adeus, Jody!

                                                                          

Hoje o céu está estrelado... Olho para ele procurando por vc. Orando para que fique bem e certa de que sempre, lembrarei de vc!

Hoje, o céu dos cachorros ganhou mais uma estrelinha para brilhar. Mais um anjinho fará parte do seu imenso canteiro de estrelas. Às 13h e alguns minutos ela me deixou e à minha família. Certa de que cumpriu seu papel aqui na terra: nos fazer muito feliz!

Sempre muito bem cuidada, mimada e amada, Jody sempre teve um problema crônico de otite. Coisa que, corriqueiramente me fazia levá-la ao veterinário. Problema simples de ser tratado com remédios, nunca a impediu de ter uma vida saudável e feliz. Há uns dias, esse probleminha voltou e especula-se que ele tenha sido a causa de uma série de outros problemas que desencadearam nela de repente. Problemas aparentemente neurológico, talvez até com dor, vômito e diarreia. O quadro parecia de envenenamento. E, mesmo sendo medicada, não reagia. Seus exames de sangue deram normal para fígado, rins e infecção. Todas as taxas normais! Mesmo assim, ela continuava sem boas reações. Eu continuava com muita esperança de vê-la melhorar, como sempre...

Em alguns momentos, começo a pensar que veterinário é igual a pediatra. Guardadas as devidas proporções e diferenças de raças, pois trabalham em cima de "achismos", tentando adivinhar qual é a causa da doença de um ser que não fala o que sente. E, modéstia a parte, Doutor Alexandre, nesse quesito, sempre foi inigualável, preciso e que não media esforços em prol do bem estar canino. E... nem ele que a acompanhou durante seus 9 anos de vida, conseguia explicar o que tinha acontecido. Foi muito brusco, violento, além de injusto - por minha parte - o que a acometeu. Várias hipóteses e suposições foram levantadas, porém, nenhuma será de fato comprovada. O que é real é que, não se sabe ao certo a que atribuir, mas devido a essa doença misteriosa, seu coração se esforçou muito para ela sobreviver e não aguentou, ocasionando uma parada cardiorrespiratória.

Mais uma vez ressalto aqui, a qualificação e precisão do Dr. Alexandre que sabiamente, seguiu com procedimento de massagem e ressuscitação. Sem sucesso! Decepcionado e com os olhos marejados, me confirmou uma notícia que eu já previa que ia acontecer... "- Infelizmente, ela se foi... meus sentimentos!"

Para quem não é muito chegado a bichos não pode entender a ligação que possa haver entre nós e eles. Esse sentimento de solidariedade, de respeito e até mesmo de culpa por não ter podido fazer nada que mudasse a situação, sentimento de fracasso não é qualidade apenas de médicos, e dos bons médicos. Essa última frase dele, já me disse e transmitiu tudo! Ele cumpriu mais do que o dever dele com a profissão, honrou seus valores enquanto pessoa.

E eu, embora certa de que foi o melhor, diante de uma hipótese de sequelas graves e qualidade de vida ruim dali pra frente, não pude deixar de me sentir triste e até egoísta nessa hora, desejando que ela ainda estivesse ali, junto à mim.

Li em alguns lugar na net um texto até muito triste dedicado ao cachorro. Se bem me lembro o nome é "Prece de um Cão", e nele dizia um dos desejos de um cão era que na hora de sua morte, seu dono estivesse ao seu lado para que ele tivesse a certeza que foi amado. Que não o abandonasse para ver seu fim chegar solitário. E foi o que procurei fazer... fiquei junto, fiz carinho, dei beijinho e disse bem baixinho o quanto ela tinha sido uma cachorrinha especial e que ia fazer muita falta na minha vida. Que eu sempre iria me lembrar da cachorrinha medrosa que tinha medo de água fria, que gostava de banana e sorvete de creme. Que era sempre a 1ª a me ver quando eu chegava em casa e a 1ª a me acordar quando o despertador tocava. Que gostava de dormir no meu cachorro de pelúcia e sentava na porta do box enquanto eu tomava banho. Que tinha medo de altura, ciúme das irmãs e destruía todas as minhas havaianas, novas, velhas... sem exceção!  Que corria atrás das folhas no quintal, que latia para tudo e todos que passavam na rua e que quando nervosa não segurava o xixi;  que cavava embaixo de portas, que chorava quando eu a deixava sozinha e parecia sorrir quando eu a colocava no meu colo e fazia carinho nas suas orelhas até sua cabeça cair. Que corria e se agarrava nas minhas pernas, que rodava que nem doida quando eu dançava no quarto, que gostava de subir no meu colo e me abraçar com as patas em volta do meu pescoço. Que rosnava para as outras quando eu dava atenção para elas e que eu sempre brigava com vc por isso. Seus olhinhos me seguiam apreensivos por onde quer que eu fosse, mesmo que eu não a estivesse vendo, podia sentir.

Particularidades inconfundíveis e que faziam dela única e especial. Embora ainda tenha mais 3, cada um é cada um. Um não compensa o outro. E a perda embora não seja a 1ª é sempre difícil! A gente nunca sabe qual é a melhor forma de dizer adeus. Então eu acho que só soube dizer: obrigada! Por existir e me dar a chance de partilhar com vc vários momentos de minha vida e com certeza a maioria deles, muito feliz.

Em casa e no dia a dia é que sua falta vai pesar mais. Sei que vou superar e lembrar de vc com boas palavras, boas lembranças e bons sentimentos. Embora a noite esteja fria, sei que o meu e o seu coração estão aquecidos pelo amor que nos une, sempre!!! E se fiz algo que te desagradou, te decepcionou ou te magoou, me desculpe. E tomara que vc tenha me entendido em todas as nossas conversas, pq conversávamos bastante rs, embora cada uma de nós com sua língua, rs. É tanto o que tenho que falar de você, do seu gênio, das suas travessuras que já nem sei mais o que falo...

Vai com Deus, Jodizinha!!!
Eu te amo!

Um comentário:

Dama de Cinzas disse...

Amo animais e me lembro bem do sofrimento que senti quando perdi os meus.

Uma cachorrinha em particular, foi a coisa mais horrível, porque ela morreu envenenada com chumbinho, uma morte horrível. Só de escrever aqui me dá vontade de chorar. Como eu gostava daquele bichinha.

Jody terá seu espaço sempre na lembrança de todos vocês, então o corpo foi mais de alguma forma ela vai ficar.

Beijocas