17 de junho de 2011

Exagero de corações...

Pegando o gancho do dia dos namorados, gente, eu fiquei com pena de algumas pessoas nesse dia.
A gente sabe que o comércio, para lucrar bastante, adora todo e qualquer tipo de data comemorativa. As lojas enchem, muita gente compra, muitas trocas de presentes acontecem e todos saem felizes! Bom, mais ou menos. Nem todos ficam tão felizes assim, rs.

Não sei se é impressão minha, mas senão todas, quase todas as lojas da cidade estavam impregnadas de corações, grandes, pequenos, rosa, vermelho, coloridos, nas vitrines. Quando não é coração é beijo. E dá-la beijo! Bocas de todas as formas estampavam a cidade. E eu fico pensando qual a utilidade disso! Que as lojas mais convencionais de presentes enfeitassem suas vitrines par chamar para compras, ok. Mas, posto de gasolina, padaria, supermercado, farmácia, banca de jornal, cursos de inglês, academias ... Aloooooooooouuuuuuuoooooooo!!! Não é tanto quanto exagerado?????? Mesmo que o amor resolvesse invadir a cidade nessa época do ano e que os apaixonados de fato vissem corações espalhados por todo canto, de qualquer forma, ainda sim, seria exagero!

Fico pensando naquele ser solitário, que não está bem consigo mesmo e muito menos de bem com a vida se tomou um pé na bunda às vésperas do dia dos namorados. Bom, no ritmo que as coisas estão, se fosse eu ou me suicidava ou me trancava para todo sempre. Já é difícil você estar com dor de cotovelo e tudo parecer conspirar contra você: as músicas no rádio - melancólicas ou românticas, filmes na TV - todos os lançamentos são comédias românticas ou drama, o papel de parede da cidade, de repente se torna casais apaixonados, se beijando, com olhares apaixonados, ao telefone em todos os lugares, fazendo declarações de amor públicas sem dó nem piedade. Facada no peito! Bares, restaurantes, lanchonetes só dá casal namorando. Tiro no coração! Teatro e cinema fim de semana, nem pensar... é o estágio terminal, o último suspiro de quem está condenado a morrer vendo o amor dos outros e sofrendo pela falta do seu.

Se já é difícil com todos esses contras diariamente, imaginem com a cidade dando uma forcinha exagerando na decoração comemorativa? E, eu tô me referindo ao "amor está no ar" do dia dos namorados porque foi recente. Mas existem outras datas comemorativas que exageram no conteúdo das vitrines, dos comerciais na TV e no rádio, nos folhetos nas ruas, nos outdoors... Natal, carnaval, dia das mães, dos pais, há sempre um, umas ou uns e outros que não são tão familiarizados com essas datas e que nelas se sentem um peixe fora d'água, um morto vivo que alguém esqueceu de enterrar.

Me solidarizo com essa pequena parcela da população. Não que eu não goste dessas datas, embora em alguns anos eu não sentisse a mínima vontade de comemorar uma ou outra data por motivos pessoais. Mas, de qualquer modo, acho que a liberdade de expressão e o direito de ir e vir de alguém deve ser respeitado, já que vivemos numa democracia. Impedir fulano de existir porque ele não quer partilhar dessa felicidade exacerbada global é cruel! Já que, muitas vezes quando o fulaninho resolve dar sua opinião, geralmente contrária a grande maioria, é crucificado. Coração partido a gente até dá um desconto. Sofrimento é sofrimento independente de tempo e circunstância. Mas, de resto... pobre coitado do infeliz que resolve dizer que não gosta desse dia dos apaixonados. Na melhor das hipóteses vai ser xingado de rancoroso, invejoso ou mala. Ou, na certa está com dor de cotovelo e de mau com o mundo. E nós, apaixonados, que culpa temos nisso? Aliás, o que nós temos com isso... deixem-nos viver nossa felicidade em paz! Mas e o fulaninho? Deixem-no viver  solidão dele, em paz!


2 comentários:

Dama de Cinzas disse...

O ser humano é um animal social. Todos nós queremos um par, mesmo os que dizem que não querem... rs

O que diferencia um sozinho do outro é o jeito como encara a solidão. Uns encaram como um peso, como uma doença que precisa ser curada. Outros encaram como uma fase, uma etapa nova de vida.

Eu encaro a minha solidão, que é bem presente, sem dramas. Um ou outro dia eu fico chateada. Mas quem tá junto com alguém, um ou outro dia fica cheio desse alguém e quer estar sozinho. A vida é assim...

Eu fico alheia a essas festas comerciais, quase todas, menos o Natal, data que ainda compro alguma coisinha para algumas poucas pessoas... O resto fico totalmente alienada... rs

Então podem colocar coraçõezinhos em todos os cantos que isso não vai me deprimir... rs

Mas concordo contigo que muita gente sofre e muito com isso...

Beijocas

Fê Miceli disse...

Fico muito feliz por vc ser tão decidida e bem resolvida com seu estado civil e com a solidõ em algumas outras datas.

Concordo com vc, spzinho ou acompanhado tem suas qualidades e defeitos. Mas especificamente aqui, me referi a quem terminou um relacionamento, rs. Fase muito ruim, ainda mais à vesperas desse dia, rs.

Mas sim, tem gente que não e tão firme e forte quanto vc. E dessas pessoas, tenho pena!

Parabéns!!!!!!!!!

beijokas