26 de dezembro de 2010

Natal... o que vale é a intenção!

Este meu Natal foi meio murcho! Também pela sucessão de acontecimentos familiares tristes nos últimos meses, mas também por tentar fazer desta data especial e representativa, como sempre, mas não ter dado. Eu já estava desmotivada por demais, e tentando ser forte, estava sendo um suplício preparar aquela ceio toda sem a presença da minha vó. Às 00h eu só conseguia chorar de tanta saudade e falta, achava que a data estava sem sentido e restava apenas na casa um vazio enorme. Sei que é uma coisa que terei que me acostumar e superar a perda dela. Talvez, no Natal que vem. Sim, a família estava toda reunida, mas a ceia que era a intenção da confraternização, não aconteceu. Pois, cada um vinha comer na hora que queria. Depois da meia-noie houve uma brincadeira de amigo oculto na família e depois a tradicional troca de presentes. Foi divertido, mas aquela diversão forçada, meio sem garça, ao menos para  mim. Estava sem clima natalino este ano, a não ser por desejar coisas boas que geralmente sentimos e desejamos nesta data. Fora isto, nada demais. Dia seguinte também, almoço de sempre, sempre preparado pela minha vó, e agora feito por mim. Nem com todos os elogios à minha farofa, consegui ficar de fato feliz.


Começo a achar que fora a minha pequena depressão e descontentamento com a data, que pelo acontecido não foi nada favorável à mim, que ele nunca mais será o mesmo. Não só por eu achar que sem a minha vó ele perdeu um pouco do sentido, mas por ver isto de fato. Acho que o restante da família, tirando minha mãe e o Ju, que é novato no meio rs, o restante só fazia a tradição da data por achar que se não o fizesse, a minha vó se sentiria magoada. Porque ela fazia questão destas coisas... Acredito que mais ano, menos ano, aos pouquinhos haverá uma debandada para cada um fazer o que melhor lhe convir e ponto final. O que não acho ruim de fato. Melhor fazer aquilo que te dá prazer do que cumprir uma obrigação! Também, penso seriamente, em como será estas datas comemorativas familiares futuramente. Pois, se for para ser como este ano, acredito sinceramente, que não haja o porquê. Se num ano difícil como este, não houve muito união e nem consideração por parte de algumas pessoas, futuramente, vai ter? Doce ilusão! E por falar em doce, a torta alemã que eu fiz pela primeira vez disseram que também arrasou, apesar do trabalhão que deu! Das guloseimas que sempre gostei, este ano comi muito pouco, estava meio sem fome. Mas, a tradicional rabanada, também feita por mim estava presente à mesa e foi uma das iguarias que mais apreciei. Bom, tirando esta pequena decepção familiar e o Natal nada animado, não houve grandes acontecimentos, ocorreu tranquilamente e mais ou menos, na medida do possível, foi como de costume.


Até o Natal de 2011



Um comentário:

Dama de Cinzas disse...

Esse Natal vai pra lista dos mais chatos da minha vida! Passei em casa, sozinha, bebendo, chorando e rezando... rs

Beijocas