19 de dezembro de 2010

O sono da mulher amada...

Este foi o título de uma coluna do Yahoo, escrita por Xico Sá. Nela, ele lança mão do escritor Alberto Moravia que diz, em seus textos: “Amar, além de muitas outras coisas, quer dizer deleitar-se na contemplação e na observação da pessoa amada”.  Até aqui eu concordo! Não há nada mais tranquilizante do que, no meio da noite, após acordar subitamente ou ser o primeiro a despertar pela manhã, olhar para o lado e ver seu amado(a) adormecido, entregue ao sono solene e você ter uma satisfação imensa com este momento.


Seria perfeita a cena, digna de Hollywood, se na prática, não fosse tão caótica assim. Com o passar do tempo a intimidade trás atitudes, manias e a rotina em si. E nela, nem sempre as coisas são tão lindas como nos filmes, nos descrevem ou pensamos que será.


No acordar a mulher nunca está de maquiagem e pronta para o desjejum belíssima como nas novelas da Globo. Às vezes está de cabelo em pé, com a cara inchada, de mau-hálito, de mau-humor. Ou seja, um bagulho total. Por mais que a noite tenha sido perfeita. Não há paixão que resista a um desajuste desses, rs. Por outro lado, se a pessoa ficar preocupada em viver numa tela pintada seu conto de fadas, nunca será ela de verdade e nunca irá se sentir à vontade na presença do amado, com ela mesmo ou em sua própria casa.


Não tô levantado a bandeira de que depois de certo tempo de intimidade algumas atitudes vergonhosas que as pessoas praticam na intimidade devam desaparecer ou não existir. Se for assim, os casamentos não existiriam. Pois compartilha-se estes penosos momentos também. Mas tenha dó! A pessoa tem que ter bom senso. Você não vai ficar com alguém que tem péssimos hábitos só porque você ama. Ou porque isto acaba sendo normal. cada um tem que fazer a sua parte para manter o encantamento e o fogo da paixão aceso. Mas não vislumbrar a perfeição! "... um homem e uma mulher jamais deveriam dormir ao mesmo tempo, embora invariavelmente juntos, para que não perdessem, um no outro, o primeiro carinho de que desperta", como bem disse o cronista Antonio Maria.


É a pessoa conservar em si a beleza que plantou nos olhos do outro, mas sem assumir a carcaça de outro alguém que na verdade não é. Mas, o despertar é dose. O homem tb não foge a esta regra. As vezes ronca, baba, tem mau-hálito, solta um peidozinho vez ou outra rs, tem ressaca... Não é propriamente um Edward, de Crepúsculo. Um gentleman! Mas, acaba fazendo parte. Desde que não ultrapassando certos limites da normalidade para não acabar sendo um cara ou um mulher escrachada. Aí, ninguém merece!!! rsrs... Acho que o dia seguinte é o teste que todo homem ou mulher acaba fazendo com seu parceiro, para tentar conhecê-lo melhor e ver como ele(a) reage na intimidade. O que, muitas vezes, é uma precipitação. ter bons hábitos um dia não quer dizer rotineiramente. nem quer dizer que uma "gafe" vá se repetir todos os dias da vida da pessoa. Não deveria servir como um termômetro medidor de conduta, mas infelizmente, é assim que é.


Bom, depois dos 3 meses de experiência, rs, meu marido não é exatamente um modelo de hábitos adequados na intimidade. Mas isto não diminui minha admiração e meu gostar por ele, porque eu o aceito como ele é. E ele sabe os limites de tolerância de nossa intimidade. Apesar de sermos bem expansivos um com outro, tem coisas que cada um faz reservadamente. Até para proteger o outro e a si mesmo!!!


Mas que é bom você ver a pessoa que está contigo dormir satisfeito, com você, há, isto é!!!!







Um comentário:

Dama de Cinzas disse...

Eu casei duas vezes e sei bem do que vc fala. Para piorar, um de meus maridos era porco. Nossa mil vezes casar com um metrossexual que quer roubar todos seus cremes... rs

A rotina do casamento acaba com o romantismo. Por mais que a gente queira segurar aquela aura de beleza dos primeiros dias de relacionamento, não conseguimos. Hoje acho que o ideal mesmo é cada um na sua casa. Casamento pra mim já deu tudo que tinha que dar.

Beijocas